Itália tem apoio da torcida local em meio à desconfiança

A inconstante Azzurra terá torcida a favor na Arena da Amazônia para se livrar das incertezas quanto ao desempenho do time.

Manaus – Experiente, devendo bons resultados e sob a desconfiança da torcida. Fatores que já são normais para a Itália em véspera de Copa do Mundo nem serão lembrados pelos torcedores de Manaus na Arena da Amazônia, diante da seleção mais próxima do Brasil em número de títulos na Copa do Mundo.

Tetracampeã em 2006 e eliminada na primeira fase no Mundial passado, o torcedor pode esperar de tudo da Azzurra, que ao longo dos anos se mostrou tão bipolar quanto o atual camisa 9, Mário Balotelli.

Antes de golear o Fluminense por 5 a 3, já em preparação no Rio de Janeiro, a Itália estava a seis jogos sem vencer, muito em razão das constantes alterações do técnico Cesare Prandelli, que abusou dos testes no time desde o terceiro lugar da Copa das Confederações de 2013, no Brasil.

No resultado final, a convocação causou polêmica pela exclusão do atacante Giuseppe Rossi, da Fiorentina, que voltara de lesão nos ligamentos do joelho e, segundo Prandelli, ainda não estava na melhor forma física para compor o time no Mundial.

Melhor para o jovem Lorenzo Insigne, que mesmo em um ano pouco inspirado pelo Napoli ganhou uma oportunidade.

No time titular, os jogadores da tricampeã italiana Juventus têm vaga cativa para manter a regularidade do clube, representados principalmente pelo goleiro Buffon e pelos volantes Pirlo e Marchisio.

Simbolizando a renovação, o promissor Verratti e o badalado Balotelli têm a oportunidade de iniciar a trajetória em Copas como titulares em Manaus, mas o centroavante precisa mostrar trabalho para não perder o lugar para Ciro Immobile, artilheiro do Italiano com 22 gols e autor de três contra o Fluminense, no amistoso do último domingo.

Em tese, esta Itália é superior a de 2010, mas a imprevisibilidade continua como a marca principal da seleção, sempre marcada por glórias ou fiascos.

Anúncio