Juiz japonês não será punido por pênalti polêmico dado ao Brasil

“Pode-se discutir se o contato foi suficiente para derrubar o jogador, mas ele viu o toque”, disse presidente da Comissão de Arbitragem

Fred não simulou a sua queda na última quinta-feira, no estádio Itaquerão, no jogo entre Brasil e Croácia, e o árbitro japonês não será punido pela Fifa. Quem garante isso é o presidente da Comissão de Arbitragem da entidade, Massimo Busacca. Em declarações exclusivas à reportagem, o ex-árbitro evitou dizer se ele daria ou não o pênalti. Mas não culpou o japonês Yuichi Nishimura pela decisão e garantiu que o árbitro não será punido.

“O que precisamos saber é o que o árbitro viu na hora do lance”, disse Busacca. “E o que ele viu foi um zagueiro que colocou as mãos nos ombros de Fred. Pode-se discutir se o contato foi suficiente para derrubar o jogador ou não, mas o que ele viu foi o toque”, explicou.

Nishimura marcou um pênalti a favor do Brasil no segundo tempo e que permitiu que a seleção virasse o jogo de abertura da Copa. O time da Croácia chegou a chamar a situação de “ridícula” e de um “circo” após o confronto. Mas Busacca insiste que Fred não simulou a queda. “A simulação ocorre quando não há contato. Aqui houve sim”, declarou.

Questionado se a Fifa irá excluir o árbitro japonês do restante do Mundial, Busacca negou. “Por favor, como vamos fazer isso?”, disse. Segundo ele, a entidade foi a cada uma das seleções explicar que os árbitros iriam punir jogadores que agarrassem outros adversários. “Todos sabiam disso. Um vídeo foi mostrado aos 32 times e eles foram informados de que isso seria punido”, afirmou.

Mas questionado se, em sua opinião, o lance era um caso claro de falta, Busacca desviou. “Não é isso que é importante. O que precisamos saber é o que o juiz viu no momento do lance”, completou.

Anúncio