Jungle Fight contará com 5 mil ingressos solidários

Os ingressos serão trocados por alimentos não-perecíveis e repassados ao Fundo Manaus Solidária

Manaus – Um dos maiores eventos de MMA do mundo, o Jungle Fight volta às origens e realiza o seu 100º evento em Manaus, neste sábado (28), a partir das 19h, na Arena Amadeu Teixeira, zona centro-sul. O evento é presidido pelo lutador Wallid Ismail e, por meio de uma parceria com a Prefeitura de Manaus, 5 mil ingressos serão trocados por alimentos não-perecíveis e repassados ao Fundo Manaus Solidária.

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, disse que espera um grande público no evento, tanto pela diversão quanto para a doação de alimentos. “Esse evento é um presente para Manaus e tudo o que for arrecadado pelo Fundo, que minha esposa Elisabeth Valeiko Ribeiro preside, será doado às instituições mais necessitadas. Estamos colocando a luta como um efetivo projeto de crescimento social”, ressaltou.

O prefeito Arthur Neto encontrou-se com Wallid Ismail, que preside o Jungle Fight, para firmar a parceria com a Prefeitura de Manaus (Foto: Divulgação/Semcom)

Em encontro com Wallid para firmar a parceria, Arthur aproveitou para homenagear seu mestre de jiu-jitsu Carlson Gracie, que foi o introdutor da arte marcial no Brasil. “Me inspiro muito no meu pai e também no Gracie, que foi meu mestre de jiu-jitsu e do Wallid. Ele me ensinou a enfrentar as dificuldades, a vencer as lutas mais duras da vida e me ensinou a vencer os combates no tatame. Quando uma pessoa imaginar que minha resistência e minha capacidade de governar estão no fim, está enganado. Tenho resistência infinita e acredito que as vitórias vão para as pessoas que acreditam nela. Aprendi isso com o Gracie e o esporte nos ensina isso”, contou o prefeito.

Para o organizador do evento de artes marciais, o trabalho da prefeitura tem uma forte veia social. “Acompanho o trabalho do Arthur, que foi o melhor senador que o País já teve. Também elogio o seu trabalho como prefeito, sempre estando nas ruas, asfaltando, acompanhando os trabalhos. Essa garra que ele tem vem da luta”, ressaltou Wallid Ismail, acrescentando que o trabalho da primeira-dama é excepcional, sempre ajudando as pessoas mais carentes.

Wallid afirmou, ainda, que Manaus se transformou na capital do MMA. “Quero ver lotar a Arena da Amazônia. Esse trabalho com o Fundo Manaus Solidária une a ajuda ao próximo com o lado social. Convido a todos para participarem do evento”, enfatizou.

Ingresso solidário

Um quilo de alimento não perecível dá direito a um par de ingressos. A troca teve início nesta quinta (26), e segue até sexta-feira (27), das 8h às 14h, na sede da Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Lazer (Semjel), localizada na Minivila Olímpica do Coroado, na alameda Cosme Ferreira, ao lado do estádio Carlos Zamith, na zona leste.

Disputas

O Jungle Fight contará com três disputas de cinturão. O paulista Eduardo Silva ‘Máquina da Dor’ terá pela frente o mexicano José Antonio Rodríguez Serrano na disputa de cinturão peso-galo (61 kg). Em um duelo carioca, Willker ‘Feijão’ Lemos enfrenta Alessandro Junior ‘Gambulino’ pelo título dos meio-médios (77 kg). A terceira disputa de cinturão será na categoria feminina. A mineira Natália Silva mede forças com a manauara Joice Mara pelo título peso-mosca.

História

A primeira edição do Jungle Fight aconteceu em setembro de 2003, em Manaus, quando colocou frente a frente o já consagrado Jorge Patino Macaco e o astro do jiu-jitsu Ronaldo Jacaré na luta principal. Nessa mesma edição, o evento ainda lançou nomes que viriam a se destacar anos mais tarde no cenário mundial do MMA, como os ex-campeões do UFC Lyoto Machida e Fabrício Werdum.

Durante três anos, o evento foi realizado em Manaus, contando em seus cards com astros da época como José Pelé Landi, Carlão Barreto, Renato Babalu, Ebenezer Braga e Stephan Bonar, e revelaria outros grandes nomes como o ex-campeão do UFC José Aldo, o campeão do ONE FC Bibiano Fernandes e o russo Alexander Shlemenko.

A partir de 2006, o Jungle Fight cresceu e passou a rodar pelo Brasil, dando oportunidade a centenas de lutadores. Foram realizadas edições no Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Paraná, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Porto Alegre, Belém do Pará, Amapá, Ceará, Palmas e Rio Grande do Norte, além de uma edição internacional que aconteceu na Eslovênia.

Card Principal

Cinturão até 61 kg

Eduardo Silva ‘Máquina da Dor’ (Full House/SP) x José Antonio Rodríguez Serrano (Cleber BJJ)

Cinturão até 77 kg

Willker ‘Feijão’ Lemos (Team Nogueira) x Alessandro Junior ‘Gambulino’ (Gordin Fight Team)

Cinturão feminino até 57 kg

– Natalia Silva (Team Borracho) x Joice Mara x Joice (PRVT)