De rival a homem de confiança: Manoel Almeida é o novo secretário da Sejel

Novo secretário de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), Manoel Almeida, fazia oposição à gestão de Amazonino Mendes na Prefeitura, em 2009

Manaus – Apenas seis meses após assumir o posto de titular da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), Janaína Chagas anunciou, na quinta-feira (5), que deixa a função a pedido do governador Amazonino Mendes. A partir desta sexta-feira (6), quem irá comandar a Sejel será Manoel Almeida, um ex-opositor do governante, que foi um dos líderes do movimento ‘Fora Negão’, em 2009, quando o político era prefeito de Manaus.

Com histórico político voltado para a juventude, Manoel Almeida entra na Sejel admitindo não “ser do esporte”, mas afirmou contar com uma equipe capacitada que será sua aliada nesta missão. Aos 28 anos, o novo gestor é formado em Teologia e Filosofia, além de cursar o 7° período de Direito.

Manoel Almeida assumiu a Sejel, na quinta-feira, no lugar de Janaína Chagas (Foto: Mauro Neto/Sejel)

Almeida já foi filiado ao Partido Comunista do Brasil (PC do B), onde ocupou o posto de presidente da Juventude Popular Socialista (JPS), ala jovem do Partido Popular Socialista (PPS). Em 2017, ele assumiu a presidência municipal do PPS. Manoel Almeida ainda foi candidato a vereador nas Eleições de 2012 e 2016.

Antes de ser nomeado secretário da Sejel, Manoel foi nomeado, em 19 de fevereiro deste ano, como secretário executivo adjunto da pasta, por Amazonino Mendes. Questionado sobre o seu passado como opositor do governador, ele não negou ter comandado o ato contra o chefe do executivo do Estado, mas frisou que o fato ficou no passado. “O Amazonino foi o maior político da nossa história e permanece sendo. É impossível que tenha alguém na classe política que nunca bateu palma ou o criticou. Eu critiquei uma decisão da Prefeitura de Manaus, em 2009, sobre a redução da meia-passagem. Fomos contrários à decisão. Houve um enfrentamento de movimentos sociais e fui uma das lideranças, mas houve também um acordo. O Amazonino, com o convite para assumir a Sejel, mostra que, acima de tudo, é um democrata”, exaltou Manoel.

O novo secretário da Sejel ainda revelou ser a favor de uma futura divisão da pasta que acabou de assumir. “Eu sou um dos defensores disso. Eu defendo, sim, o desmembramento da Sejel. Sou a favor da criação de uma secretaria para Juventude e uma secretaria para o Esporte e Lazer. Isso é um fato. O ideal é a criação de novas secretarias”, afirmou.

Gestor não vê problemas em ser inexperiente no Esporte

Sem meias palavras, Manoel Almeida admitiu não ser do meio esportivo, mas um político voltado para os anseios dos jovens. Porém, ele não vê problemas em ser inexperiente na gestão esportiva, já que contará com uma equipe qualificada para o auxiliar.

“Eu não sou do esporte. Eu sou de juventude. Conheço a estrutura da Sejel, conheço as necessidades dela, mas não tenho relação com o esporte. Tenho uma equipe qualificada, que já está atuando e que está tocado esses projetos. Acredito que eu não preciso ser atleta, para sentar com as federações e ouvir aquilo que é a necessidade delas”, disse o secretário, que irá reativar o Conselho Estadual da Juventude.

“Vamos fazer o diagnóstico, porque preciso saber quem é o jovem do Amazonas, qual a situação do jovem do Amazonas para poder saber o que a gente precisa produzir de política pública da juventude”, afirmou Almeida.

Um dos objetivos do novo secretário da Sejel será recuperar a Vila Olímpica, no bairro Dom Pedro, zona centro-oeste de Manaus, e criar uma fórmula que diminuía o déficit da Arena da Amazônia para o estádio ser autossustentável com a realização de eventos.