Sejel direciona o esporte para a comunidade

Há dois meses à frente da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), Janaina Chagas decidiu priorizar o esporte comunitário, mas reestruturação da Vila Olímpica é prometida

Manaus – Nova secretária de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), Janaina Chagas, tem ligação no passado com o desporto como ex-atleta e é formada em Direito. Com pós-graduação em Propaganda e Marketing, Janaina também conhece o meio empresarial e já trabalhou como assessora política e advogada. A comandante da Sejel ainda tem experiência profissional em marketing e mídias digitais. Há mais de dois meses no cargo, Janaina Chagas concedeu uma entrevista à REDE DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (RDC) e fez uma análise do início de sua gestão na Sejel e revelou futuros projetos da secretaria para o esporte em todo o Estado.

Secretária da Sejel vai tentar novas fórmulas para diminuir os custos da dispendiosa Arena da Amazônia (Foto: Sejel/Divulgação)

De onde surgiu a ideia de aproximar a comunidade da Vila Olímpica e principalmente do esporte?

Em relação às comunidades, aos bairros e a forma de como nós queremos levar o esporte para esse público é seguindo realmente o direcionamento do governador Amazonino Mendes. Conversando com ele foi uma das primeiras coisas que ele se posicionou para incentivar: “Janaina quero você fazendo o esporte crescer dentro das comunidades, dentro dos bairros”. Vamos unir duas coisas ao mesmo tempo: o esporte, que gera saúde e movimento do corpo e atividade física; e o lazer, que também ocupa e gera felicidade para as pessoas. Queremos levar a felicidade, levar a aula de ritmos, levar o futebol que faz amigos e que une.

Como resolver as questões de estrutura e modernização da Vila Olímpica, como a vinda da piscina herdada das Olimpíadas da Rio 2016?

Nós já começamos a fazer estudos para fazer a ampliação de esportes dentro da Vila Olímpica, inclusive, com o tiro esportivo, buscando tentar construir um centro do tiro esportivo aqui. Já começamos a reforma da quadra de areia que estava desativada há quase dois anos. A questão da piscina olímpica, nós recuperamos a piscina do Rio através do Ministério do Esporte, que estava perdida, tivemos a ajuda da Seinfra. Começamos a reforma da piscina, acredito que até junho de 2018 nós finalizaremos o Parque Aquático. No ano que vem começaremos a execução do Ginásio de Lutas, que é extremamente importante. Eu considero a luta a modalidade mais praticada no Amazonas, temos o estereótipo de lutadores bons, então, queremos realmente priorizar e valorizar as lutas.

Como a Sejel tomará conta da Arena da Amazônia? Já que a manutenção da Arena é cara e não se pode mais trazer os jogos da Série A do Brasileirão?

Já começamos algumas mudanças na Arena da Amazônia, estamos organizando novos espaços, pela primeira vez a Arena recebeu três eventos em um só final de semana. Vamos tentar viabilizar a abertura da Arena da Amazônia para cursos profissionalizantes, parcerias com universidades, então, realmente fazer com que a Arena se torne uma arena multiuso e também abrir as portas dela para a população, que muita gente inclusive nem conhece a Arena da Amazônia.

E o museu do futebol?

O museu que está sendo previsto para a Arena não é só um Museu do Futebol, mas um Museu Olímpico. O Roberto Gesta (ex-presidente da CBAt), que é uma referência no Amazonas em relação ao esporte, tem tomado a frente junto conosco para que a gente possa viabilizar esse museu. Teremos peças exclusivíssimas de Olimpíadas, das primeiras Olimpíadas, enfim, só vendo para realmente acreditar.

O que poderá ser mantido da gestão passada?

Eu acredito que o projeto Vida Ativa ainda temos como continuar. Na verdade, ampliar, é um projeto que não é da gestão passada, é um projeto mais antigo, os CAFs, que são os Centros de Convivência da Família, também estavam um pouco esquecidos e nós vamos ampliar os CAFs e o Ctara (Centro de Treinamento de Alto Rendimento da Amazônia). Os únicos três projetos, na verdade, em atuação não são da gestão anterior. Especificamente, da gestão anterior só sei que patrocinava grandes eventos e campeonatos, entendo que esses eventos e campeonatos e campeonatos devem permanecer desde que deixem um legado. Em relação as passagens aéreas, elas vão continuar. Vamos tentar com um valor muito menor emitir essas passagens aéreas de forma organizada.

E no resto do Estado?

Os interiores estavam absolutamente esquecidos. Estamos em processo de execução de um projeto com a Seduc. Vamos atuar nas escolas, onde será levado a iniciação esportiva, a prática de esportes e aulas de ritmos, onde juntamente com a Seduc estamos vendo quais interiores têm condições para receber o projeto, inclusive, academias ao ar livre.

Os clubes de futebol do Amazonas vão poder continuar jogar nos estádios, administrados pela Sejel, sem custos com aluguel do campo, por exemplo?

Jamais cobraria dos clubes o aluguel de nenhum espaço, acredito que precisamos fortalecer o futebol, como também todos os outros esportes. O que a princípio estava sendo conversado para ser cobrado era a limpeza e a manutenção. Infelizmente, nós recebemos também a Sejel com um problema gigante de limpeza e conservação. Tanto que nós recebemos a Arena da Amazônia com 24 toneladas de lixo que precisaram ser retiradas por nós, o que é um absurdo passar mais de um ano sem a retirada de lixo. Muito fácil você tirar o quadro móvel, que é a limpeza e a manutenção de eventos e simplesmente deixar o lixo lá dentro.