Marcio Gabriel traça treinos para Mundial de tiro prático

Manauara de 21 anos é o sexto colocado no ranking mundial

Manaus – O atirador desportivo Márcio Gabriel Caplan conquistou o segundo lugar no ranking brasileiro da modalidade e garantiu a classificação para o Campeonato Mundial de Tiro Prático, o Ipsc World Shoot 2020, que será realizado na Tailândia, em 2020. Atualmente, Gabriel é sexto no ranking mundial e já conquistou 22 vezes o Campeonato Brasileiro na categoria Light Junior.

Gabriel conta com uma equipe técnica que o ajuda na elaboração da preparação (Foto: Layena Magalhães/Divulgação)

O amazonense de 21 anos concilia seu tempo entre treinos e estudos – ele cursa, atualmente, o oitavo período do curso de Direito. Para chegar firme na disputa do principal torneio do ano, Márcio Gabriel mantém uma rotina intensa de treino.

Ao longo de toda a preparação, são aproximadamente 20 mil tiros apenas para treinar, uma vez que em um final de semana são feitos mais de mil disparos. Fora a preparação física, onde treina cerca de duas horas por dia, em uma academia, para ganhar condicionamento físico.

“Em média são de mil a dois mil tiros disparados durante os treinos, o que contabiliza 20 mil tiros no ano. A ideia, durante toda a preparação para a competição, é conseguir atingir pelo menos a marca de 70 mil tiros”, disse Gabriel, que no currículo acumula os títulos de campeão Latino Americano e Pan Americano.

Staff dita rotina

Por ser um esporte que requer alguns cuidados a mais para a prática, como por exemplo o Certificado de Registro do Atirador (CRA), Gabriel tem todo uma equipe técnica que o ajuda na elaboração da preparação. Entre eles, está o pai, Márcio Araújo, fundador da Associação e Clube de Tiros da Amazônia Ocidental (Actao), além do árbitro Rodrigo Moura. Este, segundo o atleta, é fundamental na hora de garantir a segurança dos praticantes.

“A principal função do árbitro de tiro é garantir a segurança no desenvolvimento do atleta, da pista e dos espectadores. Além de verificar a pontuação e vejo se o atleta obedeceu todas as regras da modalidade”, explica.

blank

(Foto: Layena Magalhães/Divulgação)

Já o pai, Marcio Araújo, não esconde a satisfação nem o orgulho na hora de falar sobre a expectativa do herdeiro na competição mundial. “É uma grata satisfação, mesmo sendo o quarto mundial que meu filho vai disputar. Cada campeonato é uma emoção diferente. Me sinto muito orgulhoso dele como filho. Como treinador, mais satisfeito ainda por ter feito o campeão que ele é”, encerrou.

Anúncio