Marta nega pressão por título mundial

Em período de treinos, na Granja Comary, visando a Copa do Mundo da França, em junho, jogadora se comparou a Messi e lembrou que hermano não venceu o torneio e está cravado na história do futebol

Rio de Janeiro – A atacante Marta está com o grupo da Seleção Brasileira na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), na fase inicial de preparação para o Mundial Feminino de Futebol, que vai ser realizado na França, a partir de junho.
Embora já tenha sido eleita a melhor do mundo em seis oportunidades, a craque nunca venceu a competição. Mas garante que isso não a incomoda e nem a pressiona, citando o argentino Lionel Messi como exemplo de quem nunca venceu o principal torneio do futebol, mas que já fez história no esporte.

“Mas o Messi não entrou na história do futebol? Pelo que me lembro, não conquistou Copa do Mundo. Isso é do brasileiro, cobra muito. Principalmente no futebol. Tem que entrar para ganhar, não pode entrar para competir. Em várias competições, sentia que a gente era melhor e não ganhamos. E não é por que não ganhou que não deixa seu nome na história. Não considero que marquei, trabalho para que o futebol feminino permaneça vivo e constante”, disse.

Eleita a melhor do mundo, Marta tratou de afastar qualquer cobrança por título (Foto: Lucas Figueiredo/Cbf)

Marta ressaltou, porém, que o título é um objetivo na próxima edição do torneio. “A gente tem essa oportunidade. Vejo como oportunidade, não necessidade. Isso não existe na minha cabeça. Trabalhamos para conquistar objetivos. Se tiver que ser, vai ser. Se não, também não tira o mérito de toda uma história”, afirmou.

A melhor do mundo chorou ao relembrar do início do futebol feminino, apontando a evolução da modalidade no Brasil. “Voltar aqui na Granja e ver como tudo mudou. Ver que realmente nossa modalidade está crescendo porque a Formiga há 25 anos começou, pela Pretinha, há 30 anos. Não é uma coisa que acontece de um dia para o outro. Para nós que estamos voltadas para essa luta, isso é muito melhor que um título”, contou.

A camisa 10 aproveitou para analisar as adversárias nas fase de grupos do Mundial, prevendo dificuldades no confronto com a seleção australiana. “O adversário mais difícil é a Austrália. Sempre fez jogos difíceis com a gente. A Itália, vi alguns jogos agora. É estilo europeu, bate bastante. A Jamaica é a equipe que tenho menos informação. Mas é focar na nossa equipe, estar bem. Esse período de treinos é importantíssimo”, afirmou a jogadora.

Aos 32 anos, Marta assegura ainda não pensar em aposentadoria. “Eu já fiz as contas em outras ocasiões. E continuo jogando. Isso não é uma coisa que me tira foco. Procuro viver um dia de cada vez. Tentando me manter da melhor maneira. Tentando competir em alto nível. Sentindo se dá para levar mais alguns anos. Não vou conseguir jogar tanto como a Formiga, mas é uma motivação acompanhá-la nos treinamentos”, falou.

O Mundial Feminino de Futebol será disputado na França entre os dias 7 de junho e 7 de julho. O Brasil está no Grupo C, junto de Austrália, Itália e Jamaica.