Neste sábado, tem manaus em ‘dose dupla’ no UFC

Carlos Diego Ferreira é o primeiro a entrar no octógono para encarar o russo Rusta Khabilov, na segunda luta da noite. Abrindo o card principal, Klidson Abreu encara Magomed Ankalaev pelos meio-pesados

Manaus – A capital amazonense estará muito bem representada, neste sábado (23), no UFC Praga, na República Checa, que começa a partir das 12h (de Manaus). Isto porque o octógono mais famoso do mundo terá a dupla Carlos Diego Ferreira (14-2-0) e o estreante Klidson Abreu (14-2-0) em ação. Os manauaras enfrentam, respectivamente, Rustam Khabilov (23-3-0) e Magomed Ankalaev (9-1-0).

Carlos Diego (à esq) e Klidson Abreu possuem como ponto forte o jiu-jítsu (Foto: Divulgação)

Porém, esta sexta-feira (22) foi para ser esquecida pelos dois, principalmente após a pesagem, quando nenhum dos dois conseguiu bater o peso preciso da categoria. O peso-leve (até 70,8kg) Carlos Diego bateu 71,2, ficando 400 gramas acima do permitido. Já o estreante da noite, Klidson Abreu, pesou 94,8kg , quando o limite da categoria meio-pesada é 93,4.

Em um conversa via aplicativo com a reportagem do GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO, Carlos revelou que o ocorrido foi apenas uma fatalidade e que não abalará os planos de Ferreira dentro do octógono.

“Estava tudo certo na perca de peso. Acho que comecei a perder líquido muito cedo e não consegui bater o peso. Faltaram 300 gramas. Uma fatalidade. Mas darei 20% da minha bolsa para o meu adversário”, explicou.

Sobre o combate, Ferreira garante que já tem o jogo do adversário mapeado. De acordo com Diego, o primeiro brasileiro a lutar na noite (faz a segunda luta do card preliminar), o caminho será a arte suave.

“O caminho para vencer é botar pressão. Quero imprimir o meu ritmo de luta para não deixar ele respirar. Sei que ele não vai aguentar. Então, o segredo é impor meu ritmo, levar a luta para o chão e trabalhar o meu jiu-jítsu”, afirmou.

Planos e metas 

Durante a ‘fight week’ (entrevistas e treinos realizados na semana da luta), Diego virou notícia ao falar que buscaria a vitória para juntar dinheiro e, assim, comprar sua casa — atualmente o lutador mora no Texas, nos Estados Unidos.

“Veja bem, eu tenho 34 anos e ainda estou no UFC. Então, agora é o momento de manter o foco e correr atrás. Posso garantir que darei tudo nessa luta para ficar à disposição, novamente, o mais rápido possível”, garantiu o lutador.

Responsável por abrir o card principal de hoje, Klidson Abreu fará sua estreia na organização.
Contratado a pouco mais de um mês, a cria do bairro Alvorada quer conter o nervosismos para manter a fama de ‘terror dos russos’.

“O UFC é o sonho de todo mundo, mas aqui é trabalho, tem que ser profissional. Tem que segurar a emoção, botar a força nas luvas e fazer um bom combate”, afirmou, em entrevista para um site especializado na cobertura de lutas do País.

Klidson teve apenas um mês para estudar Ankalaev e focou em treinos de boxe. Mesmo assim, acredita que conseguirá levar a luta para o chão, sua especialidade. “Eu sou um cara que vim do jiu-jítsu, vou mais para finalizar”, afirmou.

Anúncio