Pancadaria marca jogo entre ManausFC e Treze-PB na Arena da Amazônia; veja vídeo

Times, que se enfrentam pela Série C do Brasileirão, ficaram empatados no 1 a 1. Partida ocorreu nesta segunda-feira

Manaus – Chute, soco e spray de pimenta, assim foi o jogo do Manaus FC e Treze-PB, que terminou empatado em 1 a 1, na noite desta segunda-feira (14), na Arena da Amazônia, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro da Série C.

Os gols marcados por Gilvan e Matheusinho, ficaram em segundo plano, já que o goleiro Andrey e outros jogadores do Galo de Paraíba agrediram os policiais militares do Batalhão de Choque, que revidaram com spray de pimenta.

A confusão foi logo após o gol de empate do Manaus aos 51 minutos do segundo tempo. Como os ânimos não se acalmaram, o quarteto de arbitragem optou por encerrar a partida, faltando ser cumpridos ainda cinco minutos de acréscimos.

O próximo jogo do Gavião do Norte será mais uma vez em casa, contra o Santa Cruz-PE, neste sábado (19), às 18h, na Arena da Amazônia.

O jogo

A bola mal rolou e quem teve a primeira oportunidade foi o Treze-PB, no primeiro minuto de partida. Em uma desatenção do goleiro Jonathan, o zagueiro Spice que estava disputando a bola com o atacante, teve que cortar a bola para a linha de fundo, já que o arqueiro do Gavião não saiu para ficar com a bola.

Mas o Manaus logo retomou o controle da partida e aos sete minutos, quase abre o marcador com Paulinho Simionato, que chutou com efeito, dentro da pequena área, mas a bola acabou indo para o meio do gol, para o salto do goleiro Andrey.

O Gavião era quem tinha a maior posse de bola, tinha criação mas não conseguia terminar a jogada em finalização. Enquanto o Treze-PB apostava no contra-ataque e roubadas de bola, mas não deu nenhum trabalho para o goleiro Jonathan.

Confusão generalizada ocorreu após gol do Manauc FC, no fim do segundo tempo (Foto: Pablo Trindade / Freelancer)

As chances reais só voltaram aos 29 minutos de partida, mais uma vez com o esmeraldino. Após cruzamento da direita, Jandy finalizou já desequilibrado, a queima roupa do goleiro Andrey, que conseguiu fazer a defesa. A bola ainda tocou no zagueiro do Treze-PB, onde os jogadores do Gavião reclamaram de pênalti.

O Treze-PB conseguiu responder a pressão do Manaus FC aos 32 minutos. Em cobrança de falta na lateral esquerda, Gustavo chutou rasteiro com efeito em direção ao gol, mas a bola bateu na rede pelo lado de fora.

O Gavião teve uma última ótima chance de fazer o gol, em um contra-ataque rápido onde Paulinho Simionato, recebeu da direita, quando estava se preparando para finalizar o zagueiro chegou e cortou a bola, para fim de primeiro tempo.

Um ditado do que futebol que não falha, é o famoso quem não faz leva. Dito isto, já aos sete minutos do segundo tempo, após cruzamento da direita, Gilvan livre de marcação, colocou o Treze-PB na frente.

Após o gol, o Galo da Paraíba recuou o time e quando tinha a posse de bola, tocava a bola sem pressa. Enquanto o Manaus FC, com a saída de Janeudo e Derlan e entrada de Márcio Passos e Luisinho, somado ao gol, se desestruturou na partida.

Mais de 35 minutos de partida e o Manaus FC só conseguiu um chute em direção ao gol, em cobrança de falta, com Jandy, a bola foi em direção ao ângulo, mas fraca, o goleiro Renan que entrou no lugar de Andrey lesionado, conseguiu espalmar para lateral.

O Gavião do Norte só foi ter outra chance já nos acréscimos do segundo, após entrada de Hamilton. Aos 46 minutos, após cobrança de escanteio da direita, Hamilton desviou de cabeça no primeiro pau e Paulinho Simionato isolou a bola, mesmo estando sozinho.

Já aos 52 minutos, em lateral da direita, mais uma vez Hamilton, desviou para o segundo pau, e Matheusinho surge livre para cabecear para o fundo das redes e empatar a partida.

Logo após o gol, os jogadores do Treze-PB foram para cima do bandeirinha, o que gerou uma confusão generalizada, onde o o goleiro Andrey e outros jogadores do Galo da Paraíba, acabaram agredindo os policiais militares que reagiram lançando spray de pimenta nós jogadores.

O jogo ficou paralisado por sete minutos e devido as circunstâncias, o trio de arbitragem optou por encerrar a partida, por não sentir segurança em continuar apitando o jogo.

(Foto: Pablo Trindade / Freelancer)

Anúncio