Paratleta de Badminton do Ctara é convocada para o Parapan-Americano no Peru

Praticante de badminton há três anos, Mikaela foi revelada por um projeto do Centro de Treinamento de Alto Rendimento do Amazonas (Ctara)

Manaus – A atleta amazonense de parabadminton, Mikaela Costa Almeida, 16, é a mais nova convocada para a seleção Brasileira da modalidade e vai representar o País nos Jogos Parapan-americanos que ocorrerão em Lima, no Peru, de 23 de agosto a 1º de setembro. Praticante de badminton há três anos, Mikaela foi revelada por um projeto do Centro de Treinamento de Alto Rendimento do Amazonas (Ctara), o Núcleo de Desenvolvimento de Badminton, que funciona na Escola Estadual Cacilda Braule Pinto, no bairro Coroado, zona leste de Manaus.

Carinhosamente chamada pelos amigos de “Mika”, ela lembra do primeiro contato com o badminton em uma aula de Educação Física com o professor Fernando Taffarel, o atual técnico, que insistiu em mostrar o esporte. “Ele fez uma demonstração do badminton, mas eu não gostei muito. Porém, ele insistiu para eu treinar com eles à tarde e fui me familiarizando. Comecei a levar mais a sério a prática e estou muito feliz”, disse ela.

A atleta nasceu com uma deficiência congênita e não tem o braço direito (Foto: Divulgação/Sejel)

A atleta nasceu com uma deficiência congênita e não tem o braço direito, mas isso nunca significou limitação. “Sempre gostei de praticar esporte, e de tudo eu participava. O esporte é muito importante, e a partir dele mudei a minha vida. Tenho certeza que muitas coisas boas ainda virão com o badminton”, destacou.

“Os paratletas são exemplos a serem seguidos. Determinação, foco, força de vontade. Eles se superam diariamente nas mais diversas modalidades. Mikaela, que é do badminton, nos dá essa alegria com a convocação para o Parapan-Americano. Toda a equipe está de parabéns”, comentou Caio André Oliveira, titular da Secretaria de Estado de Juventude, Esportes e Lazer (Sejel), que apoia Mikaela.

O técnico Taffarel recorda a surpresa quando recebeu a notícia da convocação e conta como tem sido a evolução da atleta. “Ficamos surpreendidos com a suposta convocação, mas quando chegou a confirmação do seu nome, ficamos muito felizes. É fruto de muito trabalho da Mika e da equipe. O ano passado foi repleto de dificuldades, principalmente para competir em eventos internacionais, mas superamos, e essa convocação coroa a nossa persistência”, contou ele, que destacou a dedicação de Mikaela.

“Nós treinamos de segunda a sexta-feira, às vezes até no sábado, e ela não falta. É extremamente dedicada e leva o esporte muito a sério. O que ela vem colhendo é fruto de muito trabalho, dedicação e persistência. Acredito que ela ainda vai conquistar muitos títulos na nossa modalidade”, concluiu.

Antes do Parapan, a menina prodígio do parabadminton ainda tem uma agenda de competições para cumprir. Os treinos agora estão focados no Campeonato Nacional da modalidade, que ocorre em julho e somente depois disso, o preparo será direcionado ao Parapan-Americano.