Polícia conclui inquérito que inocenta jogador Dudu em caso de agressão

Ex-jogador do Palmeiras teria se desentendido com ex-mulher Mallu Ohana e caso foi parar na delegacia em junho do ano passado

São Paulo – A Polícia Civil de São Paulo concluiu na última terça-feira (19) o inquérito que inocenta Dudu, ex-jogador do Palmeiras, de agressão contra a ex-mulher Mallu Ohanna. Segundo a decisão, a conduta de Mallu pode ser investigada por “denunciação caluniosa, falso testemunho e outros delitos”.

A suposta briga entre Dudu e a então mulher, com quem teve união estável por 11 anos, se desentenderam e o caso foi parar na delegacia em junho de 2020. Segundo a digital influencer, o atleta a teria agredido na garagem do imóvel em que mora. O inquérito também fala em “relação conturbada, marcada por traições e ameaças”.

Dudu ainda jogava no Palmeiras na época do caso (Foto: Cesar Grego / Divulgação Palmeiras)

“Observa-se que ressobraram provas testemunhais e materiais inequívocas de que Eduardo, em nenhum momento, agrediu a vítima, na parte externa do condomínio, dentro e fora do veículo”, diz o documento. “A alegação da vítima, em declarações, de que foi lesionada, na garagem, dentro e fora do veículo, não se sustenta quando confrontada com prova testemunhal corroborada por Laudo Pericial”.

O documento entende a dificuldade de se provar a agressão doméstica, mas reforça a colaboração de Dudu desde o início das acusações, ressaltando que ele compareceu à delegacia mais de uma vez. Além disso, contou o fato de ter cedido seu celular para a averiguação da perícia, em que nada relevante foi encontrado. O Ministério Público agora pode levar o caso adiante ou reencaminhar para a Polícia Civil para continuar as investigações.

Hoje no Al Duhail, do Qatar, Dudu jogava no Palmeiras na época do caso. Ele defendeu o alviverde de 2015 a julho do ano passado. Nesse período, o atacante de 29 anos conquistou Copa do Brasil (2015), Brasileirão (2016 e 2018) e Campeonato Paulista (2020).

Anúncio