Rincón estava ao volante em acidente fatal, diz promotoria colombiana

Versão contradiz parentes do ex-jogador, que brilhou no Brasil com as camisas de Palmeiras, Corinthians, Cruzeiro e Santos

Cali – O ex-jogador de futebol colombiano Freddy Rincón, que morreu na semana passada após um acidente de trânsito na cidade de Cali, estava dirigindo no momento do acidente, de acordo com a promotoria colombiana nesta quarta-feira (20).

(Foto: Reprodução/Twitter/@Santos)

A versão do órgão investigador contradiz parentes do ex-jogador. “O veículo em que Freddy Rincón foi transportado era dirigido por ele”, disse o procurador-geral Francisco Barbosa em um vídeo postado na conta do Twitter da instituição.

A conclusão dos investigadores é baseada em “medicina legal forense, estudos técnicos e foi corroborada por testemunhas que estavam dentro do veículo e das câmeras”, explicou Barbosa. Na manhã de 11 de março, o carro foi atingido por um ônibus do serviço público em um grave acidente que deixou cinco feridos, sendo o mais grave Rincón, que sofreu um “grave traumatismo craniano”.

Imagens divulgadas pela imprensa mostram que o veículo de Rincón passou o sinal vermelho antes de ser atingido. O ex-jogador de futebol do Real Madrid Nápoles e Corinthians morreu dois dias depois em um hospital de Cali, aos 55 anos.

Inicialmente um dos ocupantes disse às autoridades que Rincón estava ao volante. Mas Sebastián Rincón, um dos filhos do ex-jogador da seleção colombiana, rejeitou esta versão. “Foram feitas especulações de todo tipo. É importante esclarecer ao país o que estava em dúvida”, comentou Barbosa.

Anúncio