Sucesso de Mbappé desafia Neymar no PSG

Companheiros de equipe, jogadores agora irão disputar o espaço de ‘rei de Paris’. Francês larga na frente após o Mundial

Paris- Neymar já enfrentava problemas para se consolidar como o ídolo máximo do Paris Saint-Germain antes da Copa do Mundo. Sua performance na Rússia, sua vaidade e seus atos teatrais nos confrontos com os marcadores, combinados ao desempenho do seu colega Kylian Mbappé, campeão do mundo, francês e torcedor do clube desde pequeno, deixam em aberto o papel que o craque brasileiro terá na equipe da capital francesa na temporada 2018/2019. Para os parisienses, o brasileiro agora terá de se concentrar mais no futebol, reduzir o estrelismo e reconquistar o espaço perdido como xodó da torcida.

Neymar e Mbappé agora disputam o status de protagonista no PSG. (Foto: Divulgação)

A análise vem sendo feita por comentaristas esportivos franceses e torcedores ouvidos pelo Estado nos últimos dias, antes e depois do anúncio feito pelo astro da Seleção Brasileira de que permanecerá no PSG, mesmo com o suposto assédio do Real Madrid. As declarações de Neymar na quinta-feira, aliás, ajudaram a melhorar sua imagem em Paris. Seu silêncio sobre o futuro e a pressão da equipe merengue vinham causando insatisfação entre os torcedores, que não hesitavam em chamá-lo de mercenário.

Mas as afirmações de Neymar sobre permanência no PSG e os elogios ao elenco foram bem acolhidas. Questionado sobre se continuaria no clube, o brasileiro foi taxativo e encerrou as controvérsias. “Continuo, tenho contrato. Fui para lá por um desafio, por coisas novas, por um objetivo. E não mudou nada”, reiterou. Os franceses precisavam ouvir isso.

Também as palavras de reconhecimento e elogios a Mbappé, novo xodó parisiense e francês, foram bem vistas em Paris. “Ele é um fenômeno, um grande jogador. A gente, que está com ele no dia a dia, já sabia disso faz tempo. Fico muito feliz, muito contente, de ele ter feito um grande Mundial”, disse Neymar, que ressaltou a proximidade com o craque de 19 anos. “Falo com ele quase todos os dias”, falou.

Para Bruno Salomon, jornalista e comentarista de esportes da rádio France Bleu, de Paris, os torcedores do clube saudaram a decisão do brasileiro de permanecer na capital francesa. “Neymar pode se tornar o verdadeiro príncipe ou até o rei do Parque dos Príncipes, mas precisa ser mais natural, focar em jogar futebol e não esperar que as pessoas apenas o amem”, entende.

Segundo Salomon, Neymar perdeu no espaço de um ano o protagonismo no coração dos jovens torcedores franceses. “Na escola, meus filhos não falam mais de Neymar, mas de Mbappé. Por quê? Porque Mbappé contribuiu à equipe. É preciso que Neymar desça um pouco do pedestal”, falou.

Para Hervé Kohler, um torcedor referência do PSG, requisitado com frequência pela imprensa francesa, o que os parisienses esperam de Neymar é que ele “jogue bonito e seja decisivo”. “Nós sabemos que ele sabe fazer tudo, mas nos frustra ver seu lado tão frágil. Como as coisas estão, é impossível amá-lo todo o tempo. Nós o amamos, o detestamos, o amamos de novo, o detestamos de novo”, concluiu.

Anúncio