Vasco domina o Cruzeiro, mas novamente vacila no fim e empata

O jogo caminhava para uma vitória bonita do Vasco. Mas novamente no final uma desatenção da defesa resultou no empate

Rio de Janeiro – Houve reclamação por um gol cruz-maltino anulado segundos antes do feito da Raposa. Por fim, com São Januário recebendo cerca de 300 pessoas, Nenê e Ramon marcaram no empate por 1 a 1 que deixou os dois oponentes ainda muito longe do G4 da Série B do Campeonato Brasileiro.

Foto: Rafael Ribeiro/Vasco

SALVA FÁBIO
Com 13 minutos de jogo, Morato chutou cruzado e a bola rodou perigosamente a área de Fábio. Mas nada ocorreu. Aos 21, finalmente, uma chance efetiva: Nene cruzou e Morato cabeceou. Fábio precisou fazer grande defesa. E aos 30, o duelo se repetiu: Morato chutou perto da marca do pênalti e o goleiro cruzeirense pegou de novo.

FÁBIO SALVA, NENÊ MARCA
O Vasco dominava amplamente a partida. Eram 34 minutos, porém, quando o time visitante aproveitou que a defesa cruz-maltina estava avançada no campo, Thiago foi lançado e chutou cruzado. A bola foi para fora, perigosamente. Só que aos 44 minutos, Morato fez jogada pela direita da área, Cano finalizou na trave, mas a bola voltou para Nene mandar para a rede. Placar aberto com o primeiro gol do meia no retorno ao Cruz-Maltino.

UMA CHANCE MINEIRA
No segundo tempo, a primeira chance real foi aos 19 minutos. Eduardo Brock cobrou falta de longe e Vanderlei mandou para escanteio. Dois minutos depois, Léo Matos evitou a finalização após cruzamento da direita. Aos 24 minutos, o respiro mandante: Marquinhos Gabriel chutou de fora da área e assustou Fábio.

INÍCIO DIVIDIDO
Outra chance cruz-maltina foi aos 30 minutos: Nene cobrou falta e Leandro Castan testou. Novamente Fábio evitou o gol cruz-maltino. Já aos 34, Andrey arrancou, entrou na área, passou pela defesa, Fábio dividiu com Cano e o centroavante, na sequência, finalizou para fora.

VACILO GERAL
O jogo seria resolvido aos 47, quando o time da casa conseguiu fugir da pressão, arrancou em contra-ataque e Daniel Amorim chutou de esquerda. O gol foi anulado – possivelmente por mão de Gabriel Pec e, no minuto seguinte, Ramon, sozinho na área, completou escanteio para o gol depois de escanteio. Obviamente, houve confusão e reclamação vascaína.

Anúncio