Walewska: inquérito sobre a morte da ex-jogadora chega à fase final

A morte da ex-atleta completou um mês no último sábado (21)

São Paulo- A SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública de São Paulo) informou nesta quarta-feira (25) que as investigações sobre a causa da morte da ex-jogadora de vôlei da seleção brasileira Walewska estão na fase final.

(Foto: Reprodução/ Instagram)

De acordo com uma nota enviada pela assessoria de imprensa do órgão, “o caso segue sendo investigado, sob sigilo, pelo 78º Distrito Policial (Jardins). As diligências continuam em andamento e já estão em fase final para a conclusão do inquérito policial”.

Walewska tinha 43 anos e morreu no dia 21 de setembro, ao cair do 17º andar do prédio onde morava, na zona sul da capital paulista. A polícia investiga as circunstâncias da morte da ex-atleta e não descarta a hipótese de suicídio, segundo o documento expedido pelo 78º Distrito Policial.

De acordo com as informações do boletim de ocorrência (B.O.), Wal enviou uma mensagem ao marido minutos antes de cair.

As imagens do sistema de monitoramento do local mostraram a mulher entrando em uma área de lazer comum do edifício, às 16h50, quando carregava uma garrafa de vinho e uma pasta com papel sulfite, na qual escreveu uma carta “aparentemente de despedida”, segundo o B.O.

Carreira vitoriosa

Nascida em Belo Horizonte, a capital de Minas Gerais, Walewska Oliveira iniciou sua carreira no Minas, em 1995. Com uma ascensão meteórica no cenário nacional, não demorou muito para que ela fosse convocada para a seleção brasileira, em 1998.

Apenas dois anos depois, ela participou da equipe que conquistou o bronze na Olimpíada de Sydney. Uma das maiores centrais do vôlei brasileiro, a ex-jogadora foi campeã olímpica com a seleção nos Jogos de Pequim (2008).

Wal se aposentou definitivamente das quadras em 2022, aos 42 anos.

Anúncio