Atirador que matou 10 pessoas nos EUA se define como ‘fascista’, ‘racista’ e ‘antissemita’

O atirador que matou 10 pessoas e feriu outras três em um supermercado nos EUA se apresentou à Justiça

Nova York – Payton Gendron, de 18 anos, autor do ataque a tiros que matou 10 pessoas e feriu outras três em Buffalo, no estado americano de Nova York, no último sábado (14), foi apresentado ao tribunal de Justiça nesta quinta-feira (19).

Segundo a NBC, uma pessoa que iria acompanhar o julgamento gritou “covarde” quando Payton entrou na sala. A audiência realizada cinco dias após a prisão do suspeito teve duração de cerca de quatro minutos. O jovem seguirá preso e sem direito a fiança.

No dia do crime, Payton saiu de um veículo com um rifle semiautomático, usando um colete à prova de balas, capacete e uma câmera, com a qual transmitiu o massacre ao vivo pela internet, antes de se entregar à polícia.

Payton se define como “fascista”, “racista” e “antissemita” e atirou principalmente contra pessoas negras durante o ataque.

O jovem teria se engajado por conta própria em páginas na internet relacionadas à supremacia branca e à teoria da “grande substituição”, uma teoria da conspiração de extrema direita.

O caso foi tratado pelas autoridades dos EUA como um ataque terrorista e um crime de ódio baseado, entre outras coisas, em um manifesto que o Payton teria deixado escrito.

Anúncio