Caravana com imigrantes ruma em direção à fronteira do México com os EUA

Marcha com 7.000 imigrantes acontece antes de encontro do secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, com presidente mexicano, Lopez Obrador

EUA – Vindos principalmente de Cuba, Haiti e Honduras, uma recém-formada caravana com cerca de 7.000 milhares de solicitantes de asilo iniciou sua marcha pelo México em direção à fronteira dos Estados Unidos dias antes da reunião do secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, com o presidente mexicano, Andrés Lopez Manuel Obrador, para discutir o aumento da imigração ilegal.

Fronteira México com Estados Unidis (Foto: WikiImages – Reprodução Pixabay)

Partindo da cidade de Tapachula, ao sul do México, a multidão começou sua jornada na véspera de Natal. Manifestantes na frente da massa seguravam uma grande cruz juntamente com uma faixa que dizia “Êxodo da pobreza”, segundo reportagem do site New York Post.

Em Tapachula, as autoridades afirmaram que estão sem recursos públicos para acomodar os migrantes que se reuniram lá em números incontroláveis. “O problema é que a fronteira sul [com a Guatemala] está aberta, e de 800 a 1.000 pessoas a cruzam diariamente”, disse o ativista dos direitos dos migrantes Luis Garcia Villagrin, que está acompanhando o grupo. “Se não sairmos de Tapachula, a cidade vai entrar em colapso.”

A caravana avançou aproximadamente 15 quilômetros depois de iniciar sua jornada ao amanhecer do domingo, de acordo com a BBC. Houve mais de 2 milhões de encontros de migrantes na fronteira sul dos EUA nos anos fiscais de 2022 e 2023, com autoridades alertando que o influxo não mostra sinais de desaceleração.

Quase 250 mil migrantes cruzaram a fronteira sul dos EUA apenas em novembro — um novo recorde para o mês e o terceiro maior total da história. Com a pressão aumentando sobre a Casa Branca para lidar com a crise em espiral, Obrador sinalizou disposição para trabalhar com autoridades dos EUA.

O presidente mexicano falou com o presidente dos EUA, Joe Biden, na semana passada para abordar a imigração ilegal antes da visita de Blinken na quarta-feira (27).

A secretária de imprensa da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, tentou minimizar as impressionantes cifras que surgem na fronteira na semana passada. “O que estamos vendo aqui na fronteira, o aumento do fluxo migratório, certamente, sobe e desce”, disse ela. “E estamos em uma época do ano em que não é incomum. Este é um sistema de imigração que está quebrado há décadas.”

A presidente do Comitê Nacional Republicano, Ronna McDaniel, discordou dessa posição no sábado, argumentando que a incursão está atingindo níveis sem precedentes. “Os números não mentem”, disse McDaniel. “Joe Biden criou uma crise humanitária em nossa fronteira e está enfraquecendo ativamente a nossa segurança nacional.”

Anúncio