Clientes dizem ter contraído HIV em tratamento das ‘Kardashians’

Clínica de estética é fechada e proprietária pode ser presa após clientes ficarem doentes com tratamento com sangue

México – A dona de um famoso salão de beleza no México, Maria de Lourdes Ramos de Ruiz, que oferecia o tratamento batizado de Facelift de Vampiro, foi indiciada por 24 crimes, entre eles: prática de medicina sem licença, fraude, lavagem de dinheiro e sonegação de impostos. Maria pode ser presa após clientes alegarem terem sido infectadas com o vírus da AIDS na clínica, entre outras doenças.

Uma investigação criminal foi aberta depois que duas pessoas contraíram o HIV após “tratamentos faciais de vampiro” no local. Desde então, mais de 100 clientes já procuraram a hospitais e a Justiça em busca de exames de HIV .

O tratamento vampiresco ficou famoso após Kim Kardashian, entre outras celebridades, aderirem à técnica. No tal facelift, cerca de 20 ml de sangue é retirado da própria paciente para conter os efeitos do avanço do tempo.

Kim Kardashian mostrou o tratamento com sangue
(Foto: Reprodução)

Durante a sessão de pouco mais de 30 minutos, o sangue extraído fica depositado em uma máquina com cloreto de cálcio por, aproximadamente, meia hora, para estimular a ruptura de suas plaquetas e dar origem a um líquido chamado de Plasma Rico em Plaquetas (PRP), que é aplicado posteriormente no rosto para ativar a circulação sanguínea e estimular a produção de colágeno. O problema é que máquina que mistura o sangue pode ter sido reutilizada sem esterilização necessária.

Entre as brasileiras, Luciana Gimenez já surgiu nas redes sociais exibindo o tratamento estético similar, com o uso de sangue.

Anúncio