Com aumento da violência no Haiti, governo retira brasileiros do país

Foram resgatados sete brasileiros que quiseram deixar o país; outros 59 decidiram ficar ou sair por meios próprios

Haiti- O Ministério das Relações Exteriores informou nesta quarta-feira (10) que retirou sete brasileiros que quiseram sair do Haiti por causa da crise de segurança no país caribenho. A capital Porto Príncipe enfrenta um surto de violência, com confrontos diretos entre grupos armados e a polícia, além de ataques a hospitais e escassez de alimentos. A onda de violência começou com gangues exigindo a renúncia do primeiro-ministro, Ariel Henry, e continuou mesmo após ele ter deixado o cargo em 11 de março. Segundo dados da OIM (Organização Internacional de Migração), em menos de 20 dias, mais de 30 mil haitianos fugiram da capital para outras cidades, principalmente do sul — que já recebeu mais de 115 mil pessoas.

(Foto: Reprodução/@ItamaratyGovBr)

O aeroporto internacional de Porto Príncipe está fechado sem previsão de retomar as operações. De acordo com o MRE, os brasileiros partiram em dois voos de helicóptero rumo à cidade fronteiriça de Jimaní, na República Dominicana, onde foram recebidos por funcionários da embaixada brasileira no país e encaminhados à capital, São Domingos. Ainda segundo o Itamaraty, outros 59 brasileiros identificados pela embaixada do Brasil na capital haitiana decidiram permanecer no país ou sair por meios próprios.

Na operação de resgate foi incluída, a pedido e às custas do governo alemão, uma cidadã alemã idosa, por razões humanitárias. Em nota, o Itamaraty agradeceu aos governos do Haiti e da República Dominicana o apoio recebido, que muito contribuiu para a retirada dos cidadãos brasileiros do país. Assim como os Estados Unidos, a União Europeia retirou parte de suas equipes do Haiti, o porta-voz da organização, Peter Stano, demonstrou preocupação com a situação da região.

Em março, o Itamaraty cobrou da comunidade internacional que tome medidas concretas para apoiar o país, com o envio de uma missão internacional de segurança. “Ao recordar seu histórico compromisso com a estabilização do Haiti, o Brasil conclama a comunidade internacional a adotar, com urgência, passos concretos para apoiar o país, em particular por meio da implementação da Resolução 2699 (2023) do Conselho de Segurança da ONU, que cria a Missão Multinacional de Apoio à Segurança no Haiti, bem como por meio de ações em prol do desenvolvimento do país.”

Anúncio