Cônsul da Alemanha no Rio de Janeiro é preso suspeito de matar marido

Caso será investigado pela Polícia Civil

Rio de Janeiro – O cônsul da Alemanha na cidade do Rio de Janeiro, Uwe Hahn, foi preso neste sábado (6) em flagrante por suspeita de matar seu marido, o belga Walter Henri Maximilien Biot, de 52 anos.

(Foto: Reprodução)

Biot foi encontrado morto na cobertura onde morava, em Ipanema, na zona sul da cidade do Rio de Janeiro.

A Polícia Militar foi acionada inicialmente para verificar uma ocorrência de morte por “mal súbito” no local. Posteriormente, no entanto, peritos constataram a existência de lesões pelo corpo de Biot, por isso, um inquérito foi aberto pela Delegacia do Leblon (14ª DP).

Segundo a Polícia Civil, em depoimento Uwe Hahn negou que tenha matado o marido e manteve a versão da morte por mal súbito.

Prisão preventiva

A Justiça do Rio de Janeiro decretou neste domingo (7) a prisão preventiva do cônsul. Ele foi submetido neste domingo a uma audiência de custódia, na cadeia de Benfica, onde está preso. Segundo a Justiça, a defesa do diplomata pediu o relaxamento da prisão alegando imunidade consular, mas o juiz Rafael de Almeida Rezende considerou que o homicídio, ocorrido no imóvel do casal, não guarda qualquer relação com as funções consulares.

O juiz levou em consideração a existência de diversas lesões no corpo da vítima, uma delas compatível com pisadura e outra com emprego de instrumento cilíndrico (como um bastão) e a constatação de manchas de sangue no quarto do casal e no banheiro.

Para o magistrado, a manutenção da prisão é importante para evitar riscos à colheita de provas e a fuga do suspeito.

Anúncio