Covid: União Europeia ameaça barrar exportações de vacinas

Em conflito com produtoras de imunizantes contra a Covid-19, o bloco ameaçou retaliações para receber os remédios comprados

Brasília – O conflito entre a União Europeia e farmacêuticas como a AstraZeneca se intensificou nesta quinta-feira (28), quando o bloco ameaçou ações legais e até mesmo bloquear as exportações de fábricas que ficam em seu território para que as companhias forneçam as quantidades de vacinas contra o novo coronavírus que constam nos seus contratos.

(Foto: Divulgação)

Diversos Países europeus estão com as campanhas de vacinação atrasadas devido ao atraso no envio das doses. Centros de imunização na Espanha, Alemanha e França já precisaram suspender a aplicação porque estão sem as vacinas.

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, escreveu em uma carta para líderes do bloco que a União Europeia deveria explorar meios legais para garantir os lotes das vacinas que constam nos contratos se as negociações com as farmacêuticas não derem resultado.

“Se nenhuma solução satisfatória for encontrada, acredito que deveríamos explorar todas as opções e fazer uso de todos os meios legais e medidas de proteção que os tratados nos proporcionam”, ressaltou Michel.

Leia mais: Alemanha recomenda vacina de Oxford para idades entre 18 e 64 anos

De acordo com uma fonte da UE ouvida pela agência Reuters, as regras de monitoramento e autorização de exportação do bloco podem acarretar em uma retenção de lotes, casos eles violem os acordos existentes entre os Países europeus e os fabricantes. A Comissão Europeia vai divulgar os critérios para analisar essas exportações na sexta-feira (29).

Anúncio