Crianças com câncer podem morrer caso não sejam retiradas de Kiev, dizem médicos

Pacientes precisaram se abrigar em porões de hospitais após a invasão russa e enfrentam falta de suprimentos

Ucrânia – As crianças que lutam contra o câncer e que precisaram se abrigar em porões de hospitais, após a invasão russa à Ucrânia, podem não sobreviver a menos que sejam retiradas de Kiev, alertam médicos e enfermeiros.

Crianças que lutam contra o câncer permanecem no porão de um centro de oncologia em Kiev. (Foto: ARIS MESSINIS/AFP)

Os pacientes precisam ir para centros especializados para que possam retomar o tratamento em segurança. Em Kiev, as crianças enfrentam a falta de suprimentos enquanto lutam contra doenças graves.

Em entrevista à NBC News, do porão do maior hospital infantil de Kiev, a doutora Lesia Lysytsia aponta que a luta dos pacientes “não pode esperar”.

“Se o tratamento do câncer infantil for interrompido pela guerra, nossos pacientes morrerão”, alerta.

Médicos da maior instituição de caridade contra o câncer infantil da Ucrânia trabalham para transferir os pacientes para um centro médico especializado em Lviv, oeste do país, para depois enviar as crianças com o quadro mais grave para a Polônia.

Entre os pacientes mais vulneráveis, 14 partiram de ônibus para Lviv, na última segunda-feira (28). Outras 20 crianças farão o mesmo percurso nesta terça-feira (1º), para depois serem escoltadas até a fronteira polonesa.

Anúncio