Europa enviará caças à Ucrânia e congela reservas de banco russo

Anúncios foram feitos neste domingo pela União Europeia, que decidiu aumentar pressão sobre a Rússia em razão da guerra

Londres – A União Europeia aumentou consideravelmente neste domingo (27) a pressão sobre a Rússia por sua invasão da Ucrânia e autorizou um pacote de 450 milhões de euros para a compra e a entrega de armas às forças ucranianas. A ajuda inclui o envio de caças.

(Foto: Reprodução/Twitter)

“Esta é a primeira vez na história da União Europeia que fazemos isso”, declarou o chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell, após uma reunião de chanceleres europeus em Bruxelas. O pacote de ajuda incluiria provisões no valor de 50 milhões de euros para a compra e a entrega de combustível e equipamentos médicos para a Ucrânia, acrescentou.

Durante a coletiva de imprensa, Borrell disse que a UE apoiará o envio de aviões de combate à Ucrânia pelos países do bloco. “Não estamos falando apenas de munição. Estamos fornecendo armamento mais importante para uma guerra”, ressaltou.

Borrell explicou que o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, “havia mencionado a necessidade de aviões que os ucranianos possam pilotar. Certos membros da UE dispõem desses aviões”.

O chefe da diplomacia europeia agradeceu uma oferta feita pela Polônia para servir como plataforma de entrega do material bélico à Ucrânia por meio da fronteira em comum.

Banco Central da Rússia

Além de disponibilizarem esses fundos para a compra de armamento, os chanceleres europeus fecharam um acordo político para bloquear as transações do Banco Central russo. “Mais de metade das reservas do Banco Central da Rússia serão bloqueadas, uma vez que elas são mantidas nos países do G7”, afirmou Borrell.

Em sua videoconferência, os chanceleres europeus também confirmaram a exclusão de um grupo de bancos russos do sistema interbancário Swift, ferramenta fundamental para operações financeiras em escala global.

O governo ucraniano pressiona a UE a excluir todo o sistema financeiro russo da rede Swift, mas, por enquanto, apenas um grupo seleto de bancos será afetado.

Borrell anunciou neste domingo que os chanceleres também aprovaram mecanismos para desarticular a atividade de órgãos da imprensa controlados pelo Estado russo em território europeu.

Anúncio