Fim do ‘beijo das pedras’: rochas do Vietnã correm risco de quebrar

Especialistas alertaram que aumento do nível do mar e barcos de turismo na região estão causando erosão da formação rochosa

Vietnã- As icônicas “rochas que se beijam” do Vietnã, localizadas em Ha Long Bay, um dos destinos turísticos mais populares do país, correm o risco de desabar, alertou um relatório.

(Foto: Divulgação/ Pickpik)

Apesar de muito populares entre os visitantes, os especialistas alertaram que o aumento do nível do mar e os barcos de turismo — que aumentam em número a cada ano — estão causando a erosão das rochas gêmeas, que emergem da baía e parecem “se beijar”.

Segundo o pesquisador Ho Tien Chung, do Instituto de Geociências e Recursos Minerais do Vietnã, a pesca ilegal e o turismo não regulamentado também estavam ajudando a acelerar o colapso das pedras. Os trabalhadores da região, por exemplo, observaram um barco turístico que parou a apenas 19 metros do ilhéu.

Os danos podem ser vistos através de fissuras profundas que cruzam as rochas, as quais alertam para a possibilidade de um desabamento, caso não sejam tomadas medidas para preservá-las.

“Os turistas podem ver as rochas na maré baixa”, disse Ho Tien Chung, acrescentando: “O nível da água está baixo, expondo a base de apoio das rochas que estão gradualmente a ser erodidas, causando um risco de colapso se não forem tomadas medidas para protegê-las e reforçá-las em breve.”

O relatório também estimulou as autoridades a introduzirem novos regulamentos para a baía de Ha Long, incluindo a limitação da velocidade dos barcos a apenas 10 km/h. Os pescadores locais também devem ser encorajados a evitar a pesca em torno das rochas para reduzir a agitação. Para preservar as rochas, a sugestão dos especialistas é usar cimento para preencher as fissuras e e reforçar as fundações da formação.

Anúncio