Jornalistas que cobriam protesto em Cabul são açoitados por talibãs

Repórteres foram levados por membros do grupo extremista, deixados cada um em uma sala e espancados com cabos

Dois jornalistas do veículo afegão Etilaatroz, Taqi Daryabi e Nematullah Naqdi, foram “severamente espancados” após serem capturados por talibãs enquanto faziam a cobertura de um protesto popular de mulheres contra o grupo fundamentalista na capital Cabul. A informação foi divulgada na manhã desta quinta-feira (8) no perfil do Etilaatroz no Twitter.

(Foto: Reprodução / Etilaatroz / Twitter)

Segundo o veículo, os repórteres contaram que foram levados juntos a um local desconhecido e deixados cada um em uma sala, onde ocorreram as torturas. Eles foram açoitados com cabos e ficaram com marcas por todo o corpo, sobretudo nas costas.

Após a notícia das prisões, uma autoridade e dois outros jornalistas foram até o local para reivindicar a libertação de Daryabi e Nematullah e também foram capturados pelos milicianos. Todos foram libertados cerca de quatro horas depois.

Segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura ( Unesco), pelo menos sete jornalistas, entre eles quatro mulheres, foram assassinados durante o exercício de suas funções no último ano no Afeganistão, dado considerado como “crítico” pela organização. Apesar das promessas do Talibã de que o grupo será mais tolerante do que no período de 1996 até 2001, a imprensa e a população afegã teme pelo futuro do país.

Anúncio