Justiça manda desligar aparelhos que mantém bebê viva; entenda

A decisão foi tomada mesmo contra a vontade dos pais que queriam encerrar o tratamento da filha em casa

Reino Unido – Um juiz britânico decidiu que os médicos poderiam desligar os aparelhos que mantém a bebê Indi Gregory viva, mesmo contra a decisão dos pais.A criança, de 8 meses, foi diagnosticada com uma grave doença mitocondrial, sem cura.

(Foto: Reprodução)

A decisão frustrou uma oferta da Itália para transferir a criança para o país. Conforme o portal The Mirror, a bebê conseguiu cidadania italiana e aguarda transferência para Hospital Bambino Gesù, em Roma.

Por conta da doença mitocondrial, a bebê deve ser submetida a uma eutanásia. Os pais da bebê solicitaram que ela encerre o tratamento em casa, o que não foi permitido pela corte.

Na decisão do magistério, seria impossível remover todo o equipamento que a mantém viva e movê-lo para a casa da família: “Os encargos do tratamento invasivo superam os benefícios. Em suma, a dor significativa sentida por esta adorável menina não se justifica quando ela enfrenta um conjunto de condições incuráveis, uma vida muito curta, nenhuma perspectiva de recuperação e, na melhor das hipóteses, um envolvimento mínimo com o mundo ao seu redor”, descreveu o juiz do caso.

O diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Matteo Bruni, afirmou que o papa Francisco “está próximo da família da pequena Indi Gregory, de seu pai e de sua mãe”.

O Pontífice “reza por eles e por ela, e dirige o seu pensamento a todas as crianças em todo o mundo que nestas mesmas horas vivem sofrendo ou arriscam suas vidas devido a doenças e guerras”, concluiu o porta-voz. .

Anúncio