Labrador perde amigo canino para alcoolismo e se torna primeiro cão a tratar vício

Cão de 2 anos de idade foi parar em ONG para reabilitação de animais porque dono, que morreu, dava bebida a ele toda noite

Londres – Um labrador chocolate se tornou o primeiro cachorro alcoólatra a tratar o vício no Reino Unido. Coco, um cãozinho de 2 anos de idade, passa por um tratamento intensivo, há pelo menos cinco semanas, no Woodside Animal Welfare Trust, uma ONG especializada em reabilitar 19 tipos de animais.

(Foto: Reprodução/Facebook/Woodsid/animal Trust)

A história ganhou o mundo na semana passada, quando o perfil oficial da ONG no Facebook divulgou o caso. “Coco está conosco há mais de um mês e requer tratamento intensino desde que chegou. A trajetória trágica dele traz evidências de como nosso trabalho é essencial”, afirmam os voluntários.

Supostamente, o antigo dono de Coco permitia que ele consumisse álcool todas as noites.

Conforme o relato, Coco chegou ao local acompanhado de um amigo canino, que vivia com ele e o dono dos dois em uma casa da Inglaterra — o tutor morreu, o que os levou para o abrigo. Assim que entraram na ONG, ambos apresentaram mal-estar intenso.

“O amigo [canino] de Coco estava se encaixando rapidamente ao tratamento e, depois, ele também a se encaixar. Tudo isso graças a um veterinário, que estava no local em que foram localizados, e conseguiu administrar os cuidados de emergência. Infelizmente, o amigo de Coco morreu apesar de nossos esforços”, diz a ONG.

Com a gravidade da doença, Coco passou a necessitar de cuidados 24h por dia. “Ficou claro que ele sofria de sintomas que apontavam para abstinência alcoólica”, diz a ONG. A dependência provocou uma sedação de quatro semanas, tudo para diminuir o risco de o cão sofrer novos ataques.

“Estamos muito gratos por estarmos, agora, fora de perigo, e Coco está sem todos os medicamentos, começando a se comportar como um cachorro normal”, afirma a ONG. Porém, o cão ainda “ainda não está pronto para adoção”, adverte a clínica. “Embora fisicamente pareça ter se recuperado, mentalmente ainda fica muito ansioso às vezes”, revela.

A ONG divulgou a história de Coco para arrecadar fundos. “Ninguém sabe os detalhes de como esses cães entraram na situação com o álcool, mas sabemos que sem o nosso cuidado, Coco provavelmente não teria sobrevivido a essa provação de partir o coração. Por favor, apoie nossa unidade Dunroamin e ajude cães como Coco”, encerra.

Anúncio