Mãe mata filha diabética ao alimentá-la à base de refrigerantes

A informação é de que a mamadeira da menina era misturada o leite em pó com uma bebida gaseificada, cítrica

EUA – Uma mulher, 41, foi condenada a nove anos de prisão por ter provocada a morte da filha diabética, de quatro anos, ao alimentá-lá à base de refrigerantes.

(Foto: Divulgação / © Clermont County Jail)

O caso aconteceu em Ohio, nos Estados Unidos. A mulher foi identificada como Tamara Banks que, segundo os jornais norte-americanos, começou a dar refrigerante à filha quando ela ainda era uma bebê.

A informação é de que na mamadeira era misturada o leite em pó com Mountain Dew, uma bebida gaseificada, cítrica, da Pepsico. A criança morreu em janeiro de 2022 com quase todos os dentes podres.

Os jornais contaram que a menina nunca tinha ao dentistas e, apesar de sofrer diabetes, os pais não a levavam às consultas. A criança foi encontrada inscosciente pelo pai que ligou para a emergência quando percebeu que a filha não estava bem.

A menina ainda foi transportada para o hospital, mas já em morte cerebral. As máquinas que a ligavam à vida acabaram sendo desligadas pouco depois. Durante a autópsia, os médicos legistas descobriram que ela tinha morrido devido ao excesso de açúcar que tinha consumido.

Os pais foram presos e acusados do crime de homicídio por negligência. Ambos acabaram por se declarar culpados.

Na última sexta-feira, Tamara foi condenada a nove anos de prisão. Já Christopher conhecerá a sentença no dia 11 de junho.

Anúncio