Número de indiciados pela invasão ao Capitólio dos EUA chega a 200

Alguns dos manifestantes citaram incentivo de Donald Trump como motivo para participarem do motim em Washington em 6 de janeiro

Estados Unidos – No dia em que o Senado dos EUA deu início ao julgamento do impeachment do ex-presidente Donald Trump por incitar a invasão do Capitólio por seus apoiadores, em 6 de janeiro, o número de pessoas indiciadas por crimes federais por terem participado da violência chegou a 200.

Segundo a imprensa norte-americana, vários dos acusados, em suas defesas, afirmaram que Trump, ao não aceitar sua derrota na eleição presidencial de 2020 e alegar repetidamente uma fraude eleitoral que até o momento não foi comprovada, os incentivou a tomar de assalto a sede do Congresso norte-americano.

Poucas horas antes da invasão, o ex-presidente fez um comício para milhares de pessoas perto da Casa Branca, dizendo “vamos marchar até o Capitólio” e que “vocês nunca vão retomar nosso país com fraqueza, temos de mostrar força”.

Número de indiciados pela invasão ao Capitólio chega a 200 (Foto: Samuel Corum/Getty Images)

Indiciados acusam Trump

Em um dos casos, o advogado de um dos acusados chegou a chamar Trump de “co-conspirador” da invasão. A advogada de Patrick McCaughey III, que é acusado de tentar esmagar um policial contra uma das portas do Capitólio, alega que ele não planejou participar do ataque e o fez inspirado pelas palavras de Trump.

“A ideia de que não houve planejamento pode ser confirmada pelo fato de que o réu teve um co-conspirador que não foi indiciado neste caso, o ex-presudente Trump, que sofreu um impeachment por ter incitado manifestantes até então pacíficos, como o réu, a cometer atos violentos no Capitólio”, escreveu a advogada.

Outro acusado, Matthew Miller, alegou que não há provas de que ele entrou no Capitólio e que estava apenas “seguindo as orientações” de Trump para marchar até o Congresso. Miller está detido desde o fim de janeiro após ser reconhecido por uma testemunha em imagens que mostram o rapaz subindo escadas para entrar no Capitólio.

O advogado Albert Watkins, que defende Jacob Chansley, o homem que invadiu o Congresso usando chifres de bisão e com o corpo pintado, também responsabiliza Trump. “Milhões de norte-americanos acreditavam em cada uma das palavras dele, achavam que tudo o que ele dizia era verdade”

Anúncio