Pai assume que matou filho ao tentar alimentá-lo de ‘luz do sol’

O homem impediu a mulher de amamentar a criança e ele queria criar o bebê sob a seita do “respiratorianismo”

Rússia – Um influenciador confessou durante julgamento no último domingo (14) que causou a morte do filho recém-nascido ao tentar “alimentá-lo de energia solar”, como uma planta. A criança morreu em março de 2023.

(Foto: Reprodução)

O casso aconteceu na Rússia. O influenciador foi identificado como Maxim Lyutyi, 44. O homem impediu a mulher de amamentar a criança.

Ele queria criar o bebê sob a seita do “respiratorianismo”, em que os praticantes deixam de comer e beber água por muito tempo, enquanto se “alimentam do Sol”.

Com a morte do filho, o homem tentou culpar mãe da criança. Durante o julgamento, afirmou que o veganismo da mulher teria causado a morte do bebê, por sua “falta de ferro” na corrente sanguínea, o que não foi provado.

A mãe chegou a ser condenada a dois anos de “trabalhos corretivos” por negligência.Maxim foi condenado a 8 anos de prisão. Um tribunal em Sochi, na Rússia, entendeu que ele causou “lesões corporais graves” ao bebê.

Além disso, o homem deve pagar uma multa de 100.800 rublos (cerca de R$ 5.600). O bebê morreu de inanição com um mês de vida. Além disso, a autópsia registrou pneumonia e exaustão severa como causas da morte.

O conteúdo do influenciador era baseado em promover a alimentação a partir de comidas cruas, que ele defende ser mais saudável para o corpo humano.

Anúncio