Para conter Covid-19, cidade chinesa proíbe população de dirigir

Em um esforço para controlar o maior foco de coronavírus do país em 21 meses, a cidade adotou medidas mais severas

China – A cidade chinesa de Xian anunciou nesta segunda-feira, 27, medidas de controle ainda mais rigorosas contra a Covid-19 – os residentes estão proibidos de dirigir carros -, em um esforço para controlar o maior foco de coronavírus do país em 21 meses.

(Foto: Divulgação/Gov.cn)

A cidade histórica de Xian, com os 13 milhões de habitantes em confinamento desde quinta-feira, enfrenta uma nova onda de contágios. Nesta segunda-feira, o governo da cidade anunciou “medidas mais rígidas de controle social”. Conhecida pelas esculturas dos guerreiros de terracota, a cidade registrou 150 novos contágios desde segunda-feira, o que eleva o total a 650 desde 9 de dezembro.

A circulação de veículos está proibida, exceto para ajudar nos trabalhos de controle da doença, anunciaram as autoridades. A polícia e funcionários da área de saúde devem “inspecionar de maneira rigorosa” os carros. Os infratores podem ser condenados a 10 dias de detenção e ao pagamento de multa de 500 yuanes (US$ 78).

Para frear a propagação da covid, as autoridades afirmam que organizam testes contínuos em toda a população.

Todos os estabelecimentos comerciais não essenciais estão fechados. Apenas uma pessoa por residência pode sair a cada três dias para comprar produtos de primeira necessidade.

A China adota desde o ano passado uma estratégia “covid zero” e intensificou a vigilância para evitar um surto da doença antes dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, que acontecerão em fevereiro.

 

Anúncio