Proteção da Pfizer contra a Ômicron dura menos em crianças de 5 a 11 anos

Os pesquisadores perceberam que nas crianças a eficácia da vacina foi de 68%, em meados de dezembro, para 12% no fim de janeiro

Nova York – A vacina da Pfizer contra a Covid-19 apresenta uma diminuição rápida da proteção quando aplicada em crianças de 5 a 11 anos. A conclusão foi de um estudo da Universidade de Nova York feito entre 13 dezembro de 2021 e 30 de janeiro desse ano, pico de transmissão da variante Ômicron nos Estados Unidos, com 852.384 crianças totalmente vacinadas de 12 a 17 anos e 365.502 na faixa etária mais nova também com o esquema vacinal completo.

(Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF)

Os pesquisadores perceberam que nas crianças a eficácia da vacina foi de 68%, em meados de dezembro, para 12% no fim de janeiro. Já entre os adolescentes e jovens, a proteção foi de 66% para 51%.

Por decisão da farmacêutica e com base nos testes feitos antes do aparecimento da variante Ômicron do SARS-CoV-2, as pessoas entre 5 e 11 anos recebem uma dose de princípio ativo equivalente a pouco mais de 30% da quantidade recebida por indivíduos dos 12 anos.

Mesmo com a diminuição da proteção, os pesquisadores ressaltaram que a vacinação foi 48% eficaz para manter a faixa etária mais jovem fora do hospital, com 73% de eficácia contra a hospitalização entre adolescentes no mês passado, mostraram os dados. Isso foi inferior à eficácia de 100% e 85% contra a hospitalização para as duas faixas etárias em meados de dezembro.

Anúncio