Recepcionista é presa por atacar adolescente e tirar a roupa em parque

Jade Berry, de 27 anos, estava bêbada quando se ofereceu para fazer sexo com jovem de 13 anos, que fugiu do local

Inglaterra – Uma recepcionista de uma clínica odontológica foi presa após atacar sexualmente um adolescente de 13 anos e tirar a roupa em um parque na Inglaterra depois de beber com amigos.

Jade alegou problemas psiquiátricos e terá que passar por clínica de reabilitação. (Foto: Reprodução / Facebook)

Jade Berry, de 27 anos, cambaleou até o garoto de 13 anos e seu amigo e sentou-se entre eles — os dois conversavam sobre os planos do garoto para seu 14º aniversário. Berry começou a molestá-lo por volta das 21h de 3 de outubro de 2022, no Rivacre Valley Country Park, em Ellesmere Port, Cheshire. O caso foi julgado nesta semana.

Segundo o Tribunal de Chester, Jade tocou nos genitais do adolescente e se ofereceu para fazer sexo com ele. Quando os jovens se levantaram para sair, ela abaixou as calças e “expôs seus genitais e as nádegas”. Em seguida, a recepcionista desmaiou no parque, de acordo com reportagem do tabloide britânico The Mirror.

Os dois meninos conseguiram filmar Berry antes de correr para fora do parque. A polícia conseguiu encontrá-la porque ela esqueceu seu cartão do banco e o celular no parque. Ao ser interrogada, ela disse que não se lembrava de nada, mas depois foi reconhecida pelo garoto em exame de identidade.

James Coutts, promotor de acusação, disse que a vítima foi para casa e informou sua mãe, que alertou a polícia. Berry tinha saído do parque quando a polícia chegou. Ela foi presa dois dias depois, em 5 de outubro. O sr. Coutts acrescentou que o garoto se sentia “assustado, ansioso e geralmente inseguro”.

O garoto disse que ficou tão traumatizado com o encontro que tentou tirar a própria vida. Ele tem medo de voltar ao parque e passou a urinar na cama após o encontro com a mulher.

Jade Berry se declarou culpada de agressão sexual a um homem, mas não foi acusada nem condenada por exposição pública. Ela também foi sentenciada a 12 meses de prisão.

O advogado da recepcionista disse que sua cliente foi diagnosticada com “transtorno de ansiedade, ataques de pânico e transtorno de personalidade borderline”. “Por causa desses problemas, ela tem bebido demais. Há um arrependimento genuíno, e ela mostra empatia pela vítima.”

O juiz acatou parte das alegações da defesa e decidiu aplicar uma pena alternativa à recepcionista, que terá que usar por 120 dias uma tornozeleira eletrônica que monitora o consumo de álcool. Ela ainda terá que completar 35 dias de atividades em uma clínica de reabilitação e seu nome ficará incluído no Registro de Criminosos Sexuais por dez anos.

Anúncio