Terremoto de 7,7 graus atinge o México e mata uma pessoa

Na mesma data, em 1985 e 2017, o país viveu tragédias decorrentes de abalos sísmicos; vídeo mostra o tremor causado pelas placas tectônicas

Cidade do México – Um terremoto de 7,7 graus na escala Richter abalou o centro do México nesta segunda-feira (19), na mesma data em que se rememorava a ocorrência de dois potentes terremotos que deixaram milhares de mortos, em 1985 e 2017, informaram autoridades locais.

Menos de uma hora após a realização de uma simulação de terremoto como parte da lembrança dos eventos de 1985 e 2017, um forte tremor causou pânico em várias partes da capital e em outras cidades centrais do país.

(Foto: Reprodução/Twitter)

“Uma pessoa faleceu devido à queda do muro de um centro comercial em Manzanillo (estado de Colima)”, comunicou o presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, pelas redes sociais. O Serviço Sismológico Nacional, que inicialmente havia indicado uma magnitude de 6,8, relatou que o epicentro do tremor se localizou 59 km ao sul de Coalcoman, no estado de Michoacán, na costa do Pacífico. A Defesa Civil descartou risco de tsunami.

“Achei que ia enfartar!”, afirmou à AFP Gabriela Ramírez, que mora no bairro Roma-Condesa, um dos mais vulneráveis da Cidade do México, por estar sobre um terreno lamacento.

O tremor ativou o alerta sísmico, que soa um minuto antes de o fenômeno ocorrer, provocando cenas de pânico em vários setores da capital, de 9,2 milhões de habitantes.

“Até agora, não foram reportados danos”, escreveu a prefeita da cidade, Claudia Sheinbaum, no Twitter. Autoridades do estado de Michoacán não mencionaram vítimas, enquanto residentes apontaram danos materiais menores.

Data traz lembranças trágicas

O alerta sísmico soou menos de uma hora depois que milhões de pessoas participaram de uma simulação nacional, realizada todo 19 de setembro para promover ações de prevenção.

Este é o terceiro sismo registrado em 19 de setembro na história do México. Em 1985, um terremoto com magnitude de 8,1 graus deixou mais de 10.000 mortos, a grande maioria na capital. Nessa mesma data, em 2017, outro sismo, de 7,1 graus, impactou o centro do país, deixando 369 mortos. O tremor desta segunda-feira ocorreu com apenas nove minutos de diferença em relação ao de 2017.

“Foi horrível. Descemos quando sentimos [o tremor], quando o alarme soou”, disse à AFP Karina Suárez, de 37 anos, do lado de fora do prédio em que mora, na Colonia Roma. O canal de televisão local Milenio noticiou a evacuação de um edifício no centro histórico da Cidade do México, área caracterizada por suas construções antigas e densamente povoadas.

Na redes sociais, usuários relataram a queda de muros externos frágeis e janelas quebradas em prédios da região metropolitana, que reúne um total de 22 milhões de habitantes. Grande parte da capital mexicana está localizada em cima de um antigo lago. Portanto, seu subsolo é lamacento, e as correntes telúricas são mais intensas que em terrenos firmes.

Anúncio