Abastecimento de água na zona norte será normalizado nesta terça-feira

O problema ocorre desde o último sábado por conta de problemas na rede elétrica

Manaus – Pelo menos 150 mil pessoas, em 15 bairros da zona norte de Manaus, continuam sem abastecimento de água. Conforme comunicado da Manaus Ambiental, o serviço foi interrompido desde o último sábado (14), quando a Companhia de Saneamento do Amazonas (Cosama) informou que a Estação de Tratamento de água Ponta das Lajes, do Programa Águas para Manaus (Proama), teve os serviços paralisados devido a problemas na rede elétrica.

O problema deixou 31 bairros sem água. Em nota, a Manaus Ambiental afirmou que o problema em um inversor de frequência de energia elétrica foi resolvido na noite deste domingo. Porém, a previsão de normalização do fornecimento em todos os bairros afetados é para esta terça-feira (17).

“Estamos sem água desde sábado, o maior problema é com as roupas e louças sujas. Mas desde que o Proama começou, toda semana falta água pelo menos dois dias na semana”, disse o motorista Francisco Onésio, 42, morador da Rua 5, no bairro Jorge Teixeira 2, zona norte de Manaus.

Para fugir do problema, os moradores do bairro Santa Inês, zona norte de Manaus, ou recorrem a igrejas com poços ou têm que comprar de carros pipas. 

“Aqui, dependemos do poço da igreja, mas tem dias que temos que comprar o camburão de água de 200 litros por R$10”, disse o estudante Wallace da Rocha Oliveira, 23.

O caseiro da igreja Santa Inês, no bairro de mesmo nome, zona norte, Balduíno dos Santos, 62, afirma que a água é distribuída gratuitamente para população. 

“O povo daqui sofre muito com a falta de água, isso é o mínimo que podemos fazer”, disse.

Vandalismo 

De acordo com o assessoria de comunicação da concessionária Manaus Ambiental, o reservatório de água do bairro São José, zona leste de Manaus, que abastece nove bairros, foi alvo de vandalismo neste final de semana. 

Segundo nota da empresa, sexta, sábado e domingo, o local teve cabos de bombas hidráulicas, responsáveis pela distribuição de água, furtados. A empresa afirmou que registrou um boletim de ocorrência na Delegacia Interativa da Polícia Civil. 

O trabalho de manutenção e reparos nos danos custou R$16 mil, segundo a Manaus Ambiental.

Anúncio