Campanha no trânsito não evita acidentes nas faixas de pedestres em Manaus

Manaus registra redução no número de mortes por atropelamento nos últimos dois anos, mas motoristas ainda desrespeitam a faixa de pedestres.

Manaus – Apesar da redução de 26,85% do número de mortes por atropelamentos nos últimos dois anos em Manaus, após a campanha Tô na Faixa, segundo dados do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans), os motoristas ainda desrespeitam a faixa de pedestres. 

Na última quinta-feira a empregada doméstica Marilza Souza, 53, foi atropelada por um ônibus alternativo quando atravessava, na faixa de pedestre, na Alameda Cosme Ferreira, na zona leste de Manaus. O veículo é de placa JXX-3157 e identificação 026172-B. Marilza sofreu ferimentos leves e esperou pelo atendimento do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu). Ela ia para uma consulta médica na unidade básica de saúde Alfredo Campos, quando foi atropelada.

Em março deste ano, mãe e filha foram atropeladas na Avenida Tefé, bairro Japiim, zona sul da cidade, ao atravessarem na faixa de pedestre. As vítimas tiveram ferimentos leves.

Não dar preferência ao pedestre na faixa é infração gravíssima prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e pode gerar multa de R$ 191,54, além da perda de sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). “É válido lembrar que a travessia é direito do pedestre, mas atravessar na faixa é sua obrigação”, orientou o Manaustrans.

O órgão orienta, ainda, os pedestres a usarem a faixa de maneira adequada, que não é apenas pôr o pé na faixa e já ir atravessando. É preciso, segundo o instituto, parar na calçada, estender o braço e quando os carros pararem, atravessar a via com segurança.

Nos últimos dois anos, o Manaustrans revitalizou e implantou 245 faixas de pedestres e pede a participação da população para dizer, através do Disque Trânsito – 08000-921188/1199, quais as áreas que precisam de faixas.

Anúncio