Estudante da Ufam é morta com sete tiros na frente do enteado de 4 anos

O suspeito é o companheiro da vítima, identificado como Adriano Rolim da Silva. 

Manaus – A estudante do curso de Geografia, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Luana Berenice Gonzaga das Neves, 22, foi morta com sete tiros, em frente ao enteado dela, de 4 anos, no último sábado (21). O suspeito é o companheiro da vítima, identificado como Adriano Rolim da Silva, que está foragido. As informações são do padrasto da estudante, o funcionário público Carlos Carvalho, 61.

Ainda segundo o padrasto, testemunhas contaram para ele que o casal passou o dia discutindo na casa onde moravam com o filho do suspeito, de 4 anos, na Rua 21, Conjunto Hiléia 2, zona centro oeste de Manaus, local onde ocorreu o crime.

Por volta das 21h30, o suspeito efetuou dez disparos contra a companheira dele, acertando sete tiros nas costas de Luana. Ainda segundo Carlos Carvalho, no local do crime foi encontrado R$ 12 mil em espécie.  

Segundo Carlos, o filho do suspeito presenciou o crime e também foi agredido pelo pai, que deu uma pancada no rosto da criança, utilizando o cabo da arma usada no crime.

O casal estava junto há três meses e a família não sabe informar o motivo do crime. “Estamos muito abalados com o que aconteceu.  Eu realmente não sei o que poderia ter levado a essa fatalidade, pois ela (Luana) era uma menina boa, educada, estudiosa e dedicada”, disse o padrasto da vítima.

Uma pistola PT 100 foi encontrada próximo ao local do crime, na manhã deste domingo, e conforme a assessoria da Polícia Civil, a arma passará por perícia para saber se foi a mesma arma utilizada no homicídio. A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) vai investigar o caso.

Crimes

Adriano já havia sido preso por suspeita dos assassinatos de Hugo Alcântara Cipriano, 30, o ‘Japinha’, e de Marcelo Melo Simões, 35, no bairro da União, em 2012, ambos com mais de 10 tiros. Na época do crime, a polícia informou que as mortes estariam ligadas à disputa por área de tráfico de drogas

No site do Tribunal de Justiça (TJAM) consta que o suspeito já respondia processo por tráfico de drogas e associação para o tráfico, roubo, formação de quadrilha, homicídio e corrupção de menores.

Anúncio