Filho é preso como principal suspeito do triplo assassinato na família Belota

Disputa por herança pode ter motivado o publicitário Jimmy Robert Brito assassinar o pai, tia e a prima. Ele teve ajuda de quatro comparsas, que foram presos e confessaram o crime.

Manaus – O publicitário Jimmy Robert de Queiroz Brito, 30, foi preso na tarde desta terça-feira (22) suspeito do assassinato do pai, Roberval Roberto de Brito, 63, da tia Maria Gracilene Belota, 59, e da prima Gabriela Belota, 26. Ele foi detido enquanto organizava o velório das vítimas, segundo os familiares. Outros quatro suspeitos foram presos pelo envolvimento no crime.

Segundo o diretor do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM), delegado Emerson Negreiros, um rapaz, identificado apenas como Rodrigo, foi preso, ainda na manhã desta terça-feira, ao voltar à cena do crime procurando por Jimmy, que morou com a tia e a prima no Conjunto Parque Solimões, na Raiz, zona sul. Em depoimento, ele declarou que a chacina foi planejada há três semanas e motivada por uma disputa de herança.

Rodrigo disse à polícia que três homens, identificados até o momento como ‘Rafael’, ‘Bruno’ e ‘Welington’ estavam envolvidos no crime. Ele informou que o carro de Gabriela, um Fiesta vermelho de placas JWZ-9247, que foi levado do apartamento, havia sido abandonado no Prosamim, na Avenida 7 de Setembro, Centro.

Os outros três suspeitos prestaram depoimento no 5º Distrito Integrado de Polícia (5º DIP). Eles confirmaram que primeiro mataram Gracilene, depois Gabriela e seguiram para o bairro São Raimundo, zona sul, onde mataram Robervaldo.

Até o fechamento desta matéria, Negreiros destacou que apesar do depoimento dos três suspeitos, Jimmy negou o crime em todos os momentos do depoimento. “Nós já temos detalhes de cada participação e já podemos dizer que o crime foi desvendado em menos de 24 horas”, finalizou, destacando que todos os envolvidos serão apresentados na manhã desta quarta-feira (23), quando também será divulgado o resultado final da acareação entre eles.

Postagem

Jimmy perdeu a mãe há sete meses, que faleceu vítima de câncer, e passou a morar com a tia e a prima. Em recentes postagens nas redes sociais, ele chamava as duas mulheres de “anjos da guarda”. Os familiares disseram que Gracilene havia pedido para ele se mudar, porque o rapaz levava parceiros sexuais constantemente para o apartamento onde moravam.