Movimentos sociais voltados ao exercício da cidadania ganham força em Manaus

Aos poucos, se multiplicam e aumentam de tamanho os grupos criados para debater cidadania, fiscalização do poder público e a formação de cidadãos mais críticos e conscientes do seu papel na sociedade.

Manaus – Os movimentos sociais procurados pelo PortalD24AM iniciaram suas atividades com um pequeno grupo de pessoas dispostas a discutir soluções para os problemas de Manaus e ações para modificar o cenário político local. Com o passar dos anos, os debates foram ganhando adeptos e hoje vêm contribuindo para a formação política da população.

Foi assim com o projeto ‘Governo dos Justos’, idealizado pelo apóstolo e vereador Marcel Alexandre (PMDB) em 2003. Hoje, o projeto é executado em 150 bases do MIR, responsáveis pelas escolas de formação de lideranças.

“O projeto começou da necessidade de capacitarmos os fiéis para que eles não acreditassem em promessas vazias ao longo das campanhas. Hoje, a igreja capacita seus membros e a comunidade com palestras de conscientização política para que eles pensem criticamente antes de escolher seus representantes”, disse Mikerson Cordeiro, membro da diretoria do projeto.

Baseando a formação política no Evangelho, a Cáritas Arquidiocesana da Igreja Católica também ministra palestras para promover a educação política. As atividades são desenvolvidas na Escola de Formação Sociopolítica Fé e Cidadania na Igreja Santa Margarida de Cortona no bairro Alfredo Nascimento.

O coordenador da escola, Antônio Fonseca, disse que as turmas iniciaram com dez alunos e hoje são formadas por 30 jovens. As aulas são ministradas voluntariamente por professores universitários e acontecem duas vezes por mês. “Estamos capacitando lideranças para o despertar da comunidade com uma formação intensa no campo político com a luz do evangelho”, disse.

O Serviço de Ação, Reflexão e Educação Social (Sares), também da Igreja Católica, oferece curso de especialização em Ciência Política com diploma fornecido pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap).

O coordenador do curso, padre Guilhermo Cardona, disse que a turma era formada por 32 alunos e as aulas ministradas por professores da Universidade Federal do Amazonas (Ufam). “Nossa formação é para as dinâmicas da política no Amazonas, analisando os desafios de se fazer política atualmente. Em 2014, queremos ampliar o número de participantes”, disse.

Criado em 2004, para exigir saneamento básico nas imediações no igarapé 13 de maio, entre os bairros Colônia Oliveira Machado e Cachoeirinha, ambos na zona sul de Manaus, o Instituto Amazonas de Cidadania (Iaci) é hoje uma das entidades mais atuantes na função de fiscalizar a administração pública.

“A nossa primeira bandeira foi o saneamento, mas com o tempo percebemos que o desvio e corrupção de recursos públicos é o principal motivo da falta de serviços básicos para a população”, explicou o presidente do Iaci, Hamilton Leão.

Diferente do Iaci, o projeto Jaraqui transforma a praça pública, literalmente, em uma tribuna popular. Abordando temas da política e realidade amazonense, os membros do projeto promovem aos sábados uma tribuna aberta na Praça Heliodoro Balbi, mais conhecida como Praça da Polícia.

“É um ambiente plenamente democrático, não temos nenhum tipo de restrição, seja partidário, seja ideológico”, esclareceu o membro do projeto, antropólogo Ademir Ramos.

A carta aberta de refundação do projeto, escrita em abril de 2012, esclarece que a ‘luta’ atualmente é contra a corrupção, os políticos ficha suja, o descaso e desmando operante contra a Amazônia, a cobiça pelo capital em relação à exploração dos recursos ambientais e seus serviços e a qualidade de vida das pessoas no planeta.

O jovem inserido na discussão da política

Envolver o jovem na discussão da política do Estado é uma das missões do projeto Parlamento Jovem da Assembleia Legislativa do Estado (ALE), que em 2013 está em sua sexta edição. No parlamento estadual, os estudantes conhecem a rotina da Casa e dos parlamentares, além de terem acesso a projetos apresentados pelos deputados e são orientados a elaborar seus próprios projetos.

Representante do Amazonas no Parlamento Jovem em Brasília, a estudante Jamily Rossete, 17, escolhida para representar o Estado por ter apresentado um projeto que cria um curso de capacitação para deputados em primeiro mandato.

“Conheci o projeto através de uma palestra que participei na Assembleia. Resolvi participar porque gosto muito de Direito e acho que a Política e Justiça são conhecimentos muito próximos. Quero passar todo o conhecimento que obtive neste projeto para demais jovens”, ressaltou Jamily.

O presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereador Bosco Saraiva (PSDB), disse que, a partir de 2014, estudantes da rede municipal de ensino serão convidados para participar de sessões na CMM.

“Eles virão ‘viver o parlamento’ por uma semana. A ideia é que eles assistam à sessão e que, após isso, assumam os lugares no parlamento para simular debates”, explicou Bosco.