Operação une três países contra o tráfico na Amazônia

Forças Armadas do Brasil, Colômbia e Peru fazem uma ação de ‘guerra’ na tríplice fronteira do Amazonas.O Exército Brasileiro participa com 250 homens do 16ª BIS, de Tefé.

Manaus – Forças Militares do Brasil, Peru e Colômbia iniciaramnesta terça-feira uma ação de ‘guerra’ em combate ao narcotráfico e guerrilheiros da Força Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) na tríplice fronteira entre os países. no extremo oeste do Amazonas.

Cerca de 3 mil militares participam da operação batizada de ‘Colper Amazonia 2010’. Durante três semanas, os militares farão uma ‘varredura’, fortemente armados em toda a região. A operação posta em atividade ontem é destaque na imprensa peruana e colombiana.

O Exército Brasileiro participa com 250 homens do 16ª Batalhão de Infantaria de Selva (Bis), sediado em Tefé (a 520 quilômetros da capital), segundo informou o Comando Militar da Amazônia (CMA). Entre as ações está o patrulhamento na região do Alto Rio Solimões e rio Javari

No lado brasileiro da fronteira, as operações do Exército irão se estender a partir da comunidade de Vila Bittencourt, no município de Japurá,  fronteira com a Colômbia até Palmeiras do Javari, em Atalaia do Norte, próxima à fronteira com o Peru.

“O crime que se instalou nesta região precisa da ação conjunta dos três países. Destruímos cinco laboratórios de processamento de drogas e 200 hectares de cultivo de folha de coca. Além disso, apreendemos 1,5 tonelada de insumos sólidos e  mil galões de insumos líquidos para a elaboração de pasta de coca”, explicou o brigadeiro general Rafael Colón, encarregado da parte colombiana da operação, em entrevista a Agence Frence-Press (AFP).

Do lado colombiano, a ação se desenvolve ao longo dos rios Putumayo e Amazonas, e busca atacar centros de provisões do narcotráfico, cortar corredores de mobilidade das Farcs e impedir as atividades dos criminosos que agem na região, de acordo com a Marinha colombiana em um comunicado.

O exército peruano colabora na operação com sete navios canhoneiros. Rebocadores e embarcações de patrulha pesada, leves e rápidas da Força Naval do Sul reforçam a operação no Peru. No lado colombiano, militares da Sexta Divisão do  Exército realizam operações de vigilância, interdição, segurança e apoio fluvial.

As ações militares ocorrem um mês depois que os ministros da Defesa de Colômbia, Peru e Brasil acertaram, em reunião em Letícia, intensificar a cooperação em suas fronteiras, inclusive com patrulhas nos quais participem os três países ao mesmo tempo, informa a AFP.

Agentes mortos têm missa de Sétimo Dia

Uma Missa de Sétimo Dia foi celebrada quarta à noite na Igreja Matriz da cidade de Tabatinga (distante 1.105 quilômetros de Manaus)  pela morte dos dois agentes da Polícia Federal baleados em um confronto na semana passada no Rio Solimões, no município de Anori (a 195 quilômetros a oeste de Manaus). Policiais federais que atuam na Operação Cobra e agentes da Delegacia da PF daquele município acompanharam a missa.

Os policiais Leonardo Matzunaga Yamaguti e Mauro Lobo foram assassinados durante o confronto ocorrido na última quarta-feira, 17.

A Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) também promete realizar, hoje, um protesto em frente ao Departamento da PF, em Brasília, em memória dos agentes mortos.

Anúncio