PMs são trancados dentro de sala por quase dez horas sem água

Policiais da Associação dos Praças do Estado do Amazonas (Apeam) disseram que o grupo é punido após ter se associado à entidade.

Manaus – Policiais Militares da Associação dos Praças do Estado do Amazonas (Apeam) denunciaram, nesta sexta-feira (14), retaliação do comando da corporação por terem se associado à entidade. Eles mostraram imagens de cinco PMs que ficaram quase dez horas sem água e comida em uma sala onde não havia lugar para sentar, na última terça-feira. O advogado da Apeam, Júlio César, afirmou que 11 PMs serão transferidos para outros municípios por conta disso.

A imagem foi compartilhada pelo Deputado Estadual Marcelo Ramos (PSB) nas redes sociais. Ele informou que pedirá providências ao Ministério Público e à Comissão de Direitos Humanos da OAB.

O comandante da Polícia Militar (PM), coronel Almir Davi, negou que os policiais estivessem em cárcere privado. “Por estarem com ordem para transferência e ainda não deslocados, vieram cumprir expediente no Comando de Policiamento do Interior (CPI)”. A Apeam faz oposição à Associação de Cabos e Soldados da PM.