Projeto prevê que empresa de energia faça isolamento de fios de alta tensão

Proposta, de autoria do deputado Luiz Castro, cita que medida tem como foco pontos específicos, como escolas, hospitais, igrejas e delegacias

Manaus – Tramita na Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM) projeto de lei que obriga à concessionária do serviço de energia a realizar o isolamento da fiação elétrica de alta tensão no Estado. A proposta começou a tramitar um dia depois do acidente com rompimente de fio de alta tensão na Comunidade da Sharp no bairro Armando Mendes, que levou à morte de duas pessoas. 

No dia 5 de junho, um fio de alta tensão se rompeu na Comunidade da Sharp durante a realização de um bingo beneficente. O acidente levou à morte de duas pessoas e outras 14 ficaram feridas. Mas o projeto do deputado entrou na pauta da Assembleia na terça-feira e não faz relação ao acidente. 

A proposta tem por objetivo obrigar a concessionária responsavél pela distribuição de energia elétrica no Amazonas proceder o isolamento de cabos condutores elétricos de postes de iluminação pública em instalações elétricas de média e alta tensão, que estiverem em torno de locais com elevado fluxo de pessoas. 

Os locais citados no texto do projeto como de grande fluxo de pessoas são, por exemplo, creches, faculdades, escolas, feiras, hospitais, igrejas, agências bancárias, delegacias e postos de combustíveis. 

No texto do projeto o deputado Luiz Castro afirma que os acidentes com fios de alta e média tensão são uma das principais causas de queimaduras em pacientes que procuram atendimento em hospitais do Amazonas. “Acidentes com fios e cabos elétricos podem decorrer de diversos fatores e destacamos o risco desses fios desencapados próximos a locais com elevado número de pessoas. Cabos que apresentam riscos que podem levar uma pessoa a óbito. Por isso, essa proposta tem por objetivo evitar tais acidentes, uma vez que existem meios de isolamento por meio de capas plásticas”, justifica Luiz Castro no projeto. 

O tenente João Filho, do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas, disse que não cabe aos bombeiros definir esses padrões de segurança e sim à concessionária responsável. “Essa é uma norma de segurança da concessionária. Mas tudo que é para segurança é importante, porém isso deve ser discutido sobre a viabilidade do projeto”, disse. 

A Eletrobras Amazonas Energia, por meio de nota, afirmou que não iria se manifestar sobre a proposta porque ela ainda está em tramitação na Assembleia. “A Eletrobras Distribuição Amazonas informa que o projeto de lei ainda está em fase de tramitação. A concessionária aguardará para se manifestar. A Eletrobras Distribuição Amazonas reitera o seu compromisso com a população do Estado do Amazonas em oferecer energia segura e de qualidade, contribuindo para o bem-estar de seus clientes e o desenvolvimento econômico da região”, diz nota da Eletrobras.