TJAM rejeita recursos a favor do prefeito afastado de Coari

 A defesa de Adail Pinheiro entrou com pedido no final do mês passado e o recurso tentava modificar decisão que resultou na prisão preventiva de Adail

Manaus – O Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), rejeitou na manhã desta terça-feira (10), por unanimidade, dois embargos de declaração da defesa do prefeito afastado de Coari, Adail Pinheiro (PRP).  A defesa entrou com o pedido no final do mês passado e o recurso tentava modificar decisão que resultou na prisão preventiva de Adail. A informação é do relator do processo, desembargador Rafael Romano.

Os dois embargados aparecem no site do TJAM, em ‘segredo de justiça’. Um dos recursos é uma ‘queixa/denúncia’ e o outro ‘favorecimento a prostituição’. 
 
Segundo relator do processo, desembargador Rafael Romano, o processo era uma tentativa de mudar o acórdão original. 

“Está tudo do mesmo jeito. A defesa tentou mudar o acórdão principal que resultou na prisão. Mas rejeitei todos os pedidos e todo o pleno me acompanhou. Era uma tentativa de mudar o que já foi decidido”, disse.

Na sessão do último dia 3 de junho, o TJAM aceitou, por unanimidade, uma nova denúncia do Ministério Público (MP-AM) contra o prefeito afastado, que, agora, responderá na Justiça a mais uma ação por exploração sexual de menores, além de estupro de vulnerável e organização criminosa. Também na última sessão o pleno manteve, por tempo indeterminado, a prisão de todos os envolvidos e afastamento dos cargos que ocupavam na prefeitura de Coari.

Anúncio