Veterinária burla esquema de vacinação e toma terceira dose

Mulher tomou dose única da vacina da Johnson após ser imunizada com as duas doses da CoronaVac, e publicou nas redes sociais

São Paulo – Uma médica veterinária burlou o esquema de vacinação e recebeu ilegalmente três doses de imunizantes contra a covid-19. Nas redes sociais, ela publicou a fraude e disse que praticou em Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo.

Veterinária tomou 3ª dose de vacina. Foto:
REPRODUÇÃO/FACEBOOK

Jussara Sonner publicou em suas redes sociais que havia sido imunizada, inicialmente, com as duas doses da Coronavac e se sentia “bastante incomodada”. A veterinária publicou que aguardou por três meses, até que pudesse tomar a dose da vacina da Johnson, que foi distribuída pelos Estados Unidos aos países latino-americanos.

O prefeito de Guarulhos, Guti (PSD), disse que tomou conhecimento na manhã desta quinta-feira (1), e acionou o Ministério Público para que fizesse uma investigação.

“Este é um comportamento inaceitável, criminoso e de má fé com a sociedade, pois tira a vez de alguém se vacinar. Além disso, se colocou em risco, pois não há como saber se a dose excessiva é segura”, disse o prefeito.

De acordo com a Prefeitura de Guarulhos, um procedimento interno vai apurar que tipo de falha pode ter ocorrido, para que a veterinária tenha tomado dois tipos de vacinas. “A prefeitura não mede esforços para promover uma vacinação célere e eficiente, criando critérios objetivos para a contemplação de sua população”, disse a gestão municipal.

Por meio de nota, a prefeitura disse ainda que “não se pode fechar os olhos para abusos e fraudes que visem burlar esse sistema, ainda mais baseadas em motivações desprovidas de amparo científico que possam prejudicar grupos prioritários para a vacinação, como neste caso”.

R7 entrou em contato com veterinária via redes sociais, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.

Outros casos

O Cremesp (Conselho Regional de Medicia do Estado de São Paulo) também investiga outros dois médicos que teriam burlado o sistema de vacinação e tomado dois imunizantes difrentes contra a covid-19.

Conforme as investigações iniciais, as doses foram aplicacadas em 20 de maio, em um megaposto de vacinação da cidade de São Paulo. Após tomar conhecimento da irregularidade, a Secretaria Municipal da Saúde denunciou os médicos ao Cremesp, que abriu investigação.

De acordo com o Cremesp, a investigação é sigilosa.

Anúncio