A trajetória musical de Lucilene Castro

Cantora celebra 25 anos de carreira com show em 14 de junho, no Teatro Amazonas, e retomada do projeto ‘Desafio das Cores’, com Márcia Siqueira

Manaus – Acumulando prêmios em inúmeros festivais de música, oito CDs gravados e sendo a primeira levantadora de toadas da história do Amazonas, a cantora Lucilene Castro tem motivos de sobra para comemorar seus 25 anos de carreira.

Prova disso, são dois projetos que tomarão forma este ano: um show comemorativo no Teatro Amazonas, marcado para 14 de junho, e a retomada do projeto ‘Desafio das Cores’ – com Márcia Siqueira’ – com direito a EP e dois clipes. Ambos oriundos do Edital Conexões Culturais da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult).

Lucilene Castro é a primeira levantadora de toadas da história do Amazonas (Foto: Divulgação)

“Esses 25 anos representam a consolidação de uma carreira, acredito eu, que seja de sucesso. Claro que houve percalços pelo caminho, afinal, fazer cultura no Brasil é algo difícil, mas acredito que, no resumo, foi algo de extremo proveito e de prazer. Hoje, tenho a certeza que estive no caminho certo e acredito, também, que seja tudo muito mais satisfatório do que decepcionante ou frustrante”, resume a artista.

Caboquinha ‘da pátria d’água, com muito orgulho e farinha’ – parafraseando composição de Lucinha Cabra -, Lucilene afirma que também está mais madura, sabendo lidar melhor com o público e com todos aqueles ao seu redor. “Com esse tempo, a gente também passa a entender melhor o mercado, a ter mais paciência e deixar a ansiedade de lado. Você aprende que as coisas acontecem no momento certo, mas que também é preciso ter cautela e programação. Tudo tem seu momento e a hora certa de acontecer”, comenta.

Porém, apesar dos anos, a cantora se mantém fiel aos seus artistas preferidos, mas também não deixa de ouvir cantores da nova geração. “Costumo ouvir os mesmos artistas de sempre. Elis (Regina), Djavan, Chico (Buarque)… Mas na contramão disso, tenho escutado Liniker, artista da nova geração que gosto demais, Fabiana Cozza, Alice Caymmi, que tem algo mais conceitual. Já dentro do pop, gosto da Iza, Ludmilla, Anitta, que nem entro no mérito musical, mas tem o lance do empresariado que gosto muito”, revela.

Se por um lado, ela se mantém fiel aos seus artistas de preferência, seu público também se manteve fiel, mas com espaço para novos ‘admiradores’ por assim dizer. “O público mudou ao longo desses anos, teve uma rotatividade, mas também agregou outra pessoas, de faixas etárias diferentes. Acho que houve uma expansão considerável daqueles que consomem a minha música”.

Lucilene Castro e Márcia Siqueira vão retomar o projeto ‘Desafio das Cores’, com direito a EP e dois clipes (Foto: Divulgação)

Produção musical da região

No que diz respeito a produção musical da região, Lucilene ressalta que surgiram novos talentos e novas linguagens musicais. “O Amazonas por si só é um celeiro de grandes artistas, tem produção para todos os segmentos da música. O hip-hop e o samba, por exemplo, são muito bem representados dentro do cenário nacional. Tem muita produção boa acontecendo na cidade”, destaca.

Ela acredita, ainda, que de todas as artes, a música é a mais “fácil”, assim, entre aspas, de todas. “Ela te dá a opção de tocar em bares, shoppings, fazer algo em estúdio, coisa que no caso de outras linguagens artísticas é algo mais complicado. Viver de arte no Brasil, de modo geral, é difícil, as pessoas têm dificuldade de impor seu trabalho no mercado, o público tem preguiça de consumir e conhecer coisas nova. Temos que matar um leão por dia e ralar muito”, descreve.

Para o show de 25 anos, estarão entre seus convidados Zezinho Corrêa e Márcia Siqueira, que já dividiram o palco com a artista em diversas oportunidades. “Esse espetáculo contará com direção cênica de Francis Madson, arranjo de Aécio Bezerra e produção executiva da On Produção. Vou fazer um apanhado da minha discografia e também das coletâneas de trabalhos em grupo. Quero contar com as presenças de amigos e parceiros”, conta ela.

Desafio das Cores

Já no projeto ‘Desafio das Cores’, Lucilene gravará um EP com Márcia Siqueira, sendo duas toadas de Caprichoso e duas de Garantido, além da produção de dois videoclipes que serão dirigidos pela cineasta amazonense Cristiane Garcia e terão concepção visual de Emerson Munduruku. “Vamos focar no lado musical e não na questão folclórica”, adianta.

Para o futuro, a artista revela que não pretende mais gravar discos, pois acredita que ficou algo ‘obsoleto’, mas que pretende seguir gravando trabalhos para as plataformas digitais. “Mas não é algo para agora. Faz dois anos que gravei meu último disco. Não estou pensando em nada disso agora”, finaliza.