‘A voz que canta em mim’: Eliana Printes faz show no Teatro Amazonas, na sexta-feira

A apresentação acontece a partir das 20h e os ingressos estão à venda na bilheteria do Teatro Amazonas

Manaus – Dona de uma das mais belas vozes do Amazonas, a cantora e compositora amazonense Eliana Printes retorna à Manaus na próxima sexta-feira (6), para o show ‘A voz que canta em mim’, no palco do Teatro Amazonas. A apresentação acontece a partir das 20h e os ingressos estão à venda na bilheteria do Teatro Amazonas e no site www.bilheteriadigital.com, com valores entre R$30 e R$ 60 (dependendo da localização).  O show, que tem concepção da própria Eliana e direção musical de Adonay Pereira, deve mostrar  uma sonoridade naturalmente acústica. Durante pouco mais de 1h, ela deve fazer uma síntese das suas apresentações por cidades da Europa e do Brasil. No roteiro do show, foram selecionadas canções que influenciaram a sua forma de cantar, além de homenagens a dois nomes da música nacional: Vander Lee, com quem Eliana gravou ‘Aquela estrela’, e Luiz Melodia, com o qual fez participações em diversos show e gravações.

Durante pouco mais de 1h, Eliana Printes deve fazer uma síntese das suas apresentações por cidades da Europa e do Brasil (Foto: Divulgação)

Confira a entrevista com Eliana Printes:

Plus: Por que o show tem o nome ‘A voz que canta em mim’?

Eliana Printes: Escolhi ‘A voz que canta em mim’ pela necessidade de pontuar a voz como o principal elemento para conduzir as canções. É como se ela não fosse minha e somente passasse por mim como um sopro e chegasse até as pessoas. É a voz da minha ancestralidade, a mesma voz que minha avó cantava para minha mãe, e minha mãe cantava para eu dormir, e é a voz que cantei e canto para minha filha.

P: Onde foi buscar a inspiração das canções?

EP: Ela surge como uma necessidade de dizer alguma coisa; de se comunicar. Algo que muitas vezes passa imperceptível com os afazeres do dia a dia e a rapidez da vida moderna.

P: Como será o repertório?

EP: Farei um passeio por minha discografia trazendo as canções que se destacaram nas rádios do Brasil como:  ‘Só vou gostar de quem gosta de mim’, de Rossini Pinto (que entrou para a trilha sonora do filme Qualquer gato Vira lata); ‘Os presentes’ de Kleber Albuquerque; ‘Quero voltar pra Bahia’ Paulo Diniz; ‘Sonhos de Peninha’; ‘A primeira Vista’, de Chico Cesar (gravada com a participação do próprio Chico Cesar); ‘Se chovesse você’ de Adonay Pereira / Eliana Printes e Eliakin Rufino (também com a participação de Chico Cesar); ‘De noite na cama’ de Caetano Veloso e canções inéditas que farão parte do seu álbum homônimo.

P: Como foi a experiência em fazer shows na Alemanha com a Orquestra Sinfônica Collegium Musicum de Potsdam, que tem como maestro-regente Knut Andreas?

EP: A melhor possível. Me senti acolhida por 95 músicos da Orquestra. Foi realmente algo novo e significativo para mim, pois nunca havia cantado com uma orquestra e de repente me vi cantando em um palco montado em uma praça, em Postdam, com um público aproximado de duas mil pessoas. Aprendi poucas palavras em alemão, mas o verdadeiro idioma foi a música e deu tudo certo, graças a Deus. Depois desse concerto, fizemos mais três apresentações e, ainda, registramos em CD que foi lançado somente na Europa.

Dona de uma das mais belas vozes do Amazonas, a cantora e compositora amazonense Eliana Printes retorna à Manaus na próxima sexta-feira (6), para o show ‘A voz que canta em mim’, no palco do Teatro Amazonas (Foto: Adonay Pereira/Divulgação)

P: Tem algum projeto para outra turnê fora do país?

EP: Sim. Recentemente recebi um convite para voltar a Áustria, dessa vez para o festival que acontece em abril na cidade de Gmünd. E pretendo estender essa ida à Alemanha, Suíça e talvez França, repetindo algumas cidades que visitamos na turnê passada.

P: Qual será o próximo trabalho?

EP: O próximo disco já está em construção e o título é ‘A voz que canta em mim’.

P: Como a Eliana vê a MPB hoje?

EP: Vejo a MPB com otimismo, como sempre vi e acredito. Há muita gente boa fazendo música de qualidade em todo o Brasil. E isso é maravilhoso para a música brasileira.

P: Aqui no Amazonas tem algum artista que pode destacar?

EP: Entre tantos, citaria pessoas que admiro e respeito pelo trabalho como: Chico da Silva, Zezinho Corrêa, entre outros.

P: Como define a Eliana hoje e quando sairá o próximo trabalho?

EP: Manauara, mulher, mãe e cantora. Uma pessoa que não perdeu a fé no ser humano e principalmente em Deus. Sou muito agradecida a todas as pessoas que me acompanham ao longo desses anos. Quanto ao novo disco, pretendemos lançar no primeiro semestre do ano que vem.

Anúncio