Mulheres, histórias e um clique

A fotógrafa Sara Rangel faz parte da exposição coletiva ‘Universa’, que está em cartaz no Centro Cultural Palácio Rio Negro

Manaus – O olhar sensível de Sara Rangel faz parte da exposição fotográfica ‘Universa’, que tem como curadora Cléia Viana, e reúne obras de onze fotógrafas, que estão expostas no Centro Cultural Palácio Rio Negro, na Avenida Sete de Setembro, s/nº, Centro, até o dia 17 de maio. A entrada é gratuita e os horários e dias de visitação são de terça-feira a sábado, das 9h às 17h, e aos domingos, das 9h às 14h.

Ao todo, onze fotógrafas exibem seus trabalhos na mostra ‘Universa’ (Foto: Sara Rangel/Divulgação)

Ao lado de outras profissionais, a capixaba radicada em Manaus mostra um pouco do seu talento, em um registro vivo de ‘Maria do Rosário – uma vendedora da Feira da Manaus Moderna’ e ‘Matilde – uma guerreira da aldeia Yukuro’.

“Escolhi essas mulheres em função da força delas e do quanto me inspiram. São aquelas que conquistam suas tabas com persuasão e inteligência e outra coisa que me encanta: com beleza!”, explicou Sara Rangel. Ainda segundo ela, outros atributos somaram na hora de escolher os retratos. “A força, a inteligência, o trabalho, a lida, o suor, misturado à cultura da beleza, estampada nas peles e nos rituais. Isso permite a todos nós um encontro mais refinado com nossa auto-imagem. A fotógrafa, eu mesma, também carrego meu espelho: a câmera”, observa.

blank

(Foto: Sara Rangel/Divulgação)

Do comercial ao artístico

Especialista no mercado da fotografia comercial, que une correntes como publicidade e marketing, Sara Rangel é referência na fotografia gastronômica em Manaus. Além de atuar como fotógrafa, ministra aulas presenciais, mas hoje prefere a praticidade que a tecnologia pode proporcionar. “Já fui das salas de aula, mas hoje leciono em workshops, palestras, videoconferências etc”.

blank

A capixaba radicada em Manaus Sara Rangel (Foto: Divulgação)

Para ela, fazer parte da exposição ‘Universa’, tem um sabor especial. “Cada uma de nós foi convocada para fazer um ‘close-up’ de senhoras que trouxessem em seus rostos as marcas de suas experiências, lutas e vitórias. Isso por si só já é gratificante”, destacou.

Fotografia comercial e artística

Questionada se o fato de atuar em uma linha fotográfica mais à altura do comercial lhe impediria de ter um olhar artístico, Sara Rangel foi enfática.”Não! De forma alguma! Para mim, o difícil é ser comercial quando tua alma nasce na arte. Primeiro sou arte. Não sei ser comercial para além do que a necessidade clama”, finalizou.

Também fazem parte da exposição as fotógrafas Claudia Higuchi, Kamila Venuz, Lizete Viana, Selma Maia, Adriana de Lima, Chris Gouvea, Mariana Rebouças, Paula Moraes e Ruth Jucá.

* Colaborou Mencius Melo (especial para o Diário do Amazonas)

Anúncio