Banda amazonense ‘Zona Tribal’ grava clipe da nova música de trabalho

‘O Fim do Mundo Aconteceu e Deus Esqueceu de Avisar’ deve chegar às plataformas digitais em setembro deste ano

Manaus – A fachada do icônico e belo edifício do Museu da Cidade de Manaus – Paço da Liberdade – serviu de cenário para as gravações do videoclipe da banda amazonense Zona Tribal. O mais novo produto audiovisual do quarteto manauara , intitulado ‘O Fim do Mundo Aconteceu e Deus Esqueceu de Avisar’, foi contemplado pelo Prêmio Manaus de Conexões Culturais 2018, da Prefeitura de Manaus, sob a chancela da Fundação Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult).

Clipe foi rodado no Museu da Cidade de Manaus – Paço da Liberdade (Foto: Divulgação)

O videoclipe levará a assinatura do videomaker Plínio Annunciato, da produtora paulistana Go Fast. “Mais uma vez estamos realizando o sonho de mostrar um pedacinho de Manaus, em mais um clipe do Zona Tribal”, comemorou o vocalista Mencius Melo.

Para ele, o novo trabalho que deverá chegar às plataformas digitais da banda, como YouTube e Facebook, no final de setembro, apresenta com orgulho, as origens da banda. “Seguimos mais uma vez, registrando nossa identidade, que é uma marca da banda, afinal, todos os nossos clipes anteriores foram gravados em Manaus, com a cara da nossa região”, destacou.

O vocalista da banda Zona Tribal, Mencius Melo (Foto: Divulgação)

Identidade

De fato os videoclipes do Zona Tribal sempre reverenciam o Amazonas. Foi assim em “Guerrilha” (2012), “Suicídio” (2015), “Cronicas do Dia a Dia” (2017) e “Poemas de Banheiro” (2018). Todos foram gravados em ambientes históricos e icônicos de Manaus e todos estão acessíveis no YouTube e Facebook do quarteto.

Com ‘O Fim do Mundo…’, não é diferente. “A banda tem esse respeito pela sua origem e isso é muito importante”, frisou o diretor paulistano Plínio Annunciato da Go Fast.

Ao todo foram três locações durante cinco dias de gravações, que envolveram uma equipe de doze pessoas, entre banda, figurantes e técnicos. “Tudo isso só foi possível graças ao Conexões Culturais, que é um Oasis nesse deserto que se tornou o fazer artístico no Brasil desses novos tempos”, finalizou o vocalista Mencius Melo.