Benefícios do treinamento funcional de cabeça e pescoço

Apesar de existirem mais de 51 músculos na região de cabeça e pescoço, os exercícios e relaxamentos faciais ainda são pouco conhecidos

Manaus – Pesquisa realizada pelo International Health, Racquet & Sportsclub Association (IHRSA), o Brasil é o segundo país com maior número de academias por habitante. Os brasileiros dedicam muito tempo à manutenção do corpo, mas poucos se lembram de exercitar também os músculos da cabeça e do pescoço.

Apesar de existirem mais de 51 músculos na região de cabeça e pescoço, os exercícios e relaxamentos faciais ainda são pouco conhecidos pela população de modo geral. O treinamento funcional de cabeça e pescoço oferece muitos benefícios: apresenta tanto uma solução funcional para situações críticas (como paralisias faciais e traumas, ronco, respiração oral e assimetrias), quanto uma solução estética para pessoas que preferem evitar intervenções médicas invasivas (como cirurgias plásticas e botox).

O treinamento é indicado para casos críticos, como pacientes com paralisias faciais e traumas (Foto: Divulgação)

O que é treinamento funcional de cabeça e pescoço?

O tratamento é realizado através de técnicas de soltura, relaxamento, aquecimento, tonificação e fortalecimento muscular. A partir dele, o paciente é reeducado para uma utilização equilibrada dos músculos nas funções de respiração, sucção, deglutição, mastigação, articulação da fala

Patrícia Faro, fonoaudióloga e especialista em Treinamento Funcional, afirma: “Esse tratamento visa soltar a musculatura desta região, relaxá-la e aquecê-la”. Segundo Patrícia, através de exercícios específicos para cada caso, é possível otimizar os resultados no que se refere às funções destas regiões.

Por que fazer treinamento funcional de cabeça e pescoço?

Os músculos do corpo são trabalhados com o intuito de proporcionar uma melhor aparência e qualidade de vida, exercitar a musculatura de cabeça e pescoço também oferece: “É importante trabalhar a musculatura de cabeça e pescoço para melhorar a postura e equilibrar as forças musculares desta região”, continua a fonoaudióloga Patrícia Faro. “Esses músculos bem trabalhados irão melhorar o jeito de respirar, sugar, deglutir, mastigar e até mesmo falar, promovendo melhor qualidade de vida ao paciente e, como consequência, um aspecto mais jovial”, completa.

Para quem o treinamento é indicado?

O treinamento é indicado para casos críticos, como pacientes com paralisias faciais e traumas, e no pré ou pós-operatório de cirurgias ortognáticas, bariátricas ou faciais, entre outros. E também é indicado para pacientes que buscam uma melhor qualidade de vida e mudanças de hábitos. O treinamento pode tratar ou evitar roncos, engasgos, noites mal dormidas devido à respiração ineficaz, ou mesmo assimetrias faciais causadas por mastigação unilateral.

“Não sabemos o que é correto fazer na hora de comer, engolir, respirar ou falar”, explica Patrícia Faro. “Esses fatores podem comprometer sua saúde e em muitos casos causar envelhecimento precoce”, finaliza. O treinamento pode ser iniciado aos 20 anos como tratamento preventivo, mas não tem idade limite.

Anúncio