Bloco do Caldeira alegra foliões com marchas antigas e clima familiar

Com 56 anos de história, o Bloco do Caldeira aguarda 40 mil foliões para “esquentarem” o Centro Histórico de Manaus, na zona sul da capital, nesta segunda-feira (4)

Manaus – Com 56 anos de história, o Bloco do Caldeira aguarda 40 mil foliões para “esquentarem” o Centro Histórico de Manaus, na zona sul da capital, nesta segunda-feira (4), de acordo com Carbajal Gomes, dono do Bar Caldeira há sete anos. As bandas programadas para alegrarem os foliões da edição deste ano são: Pororoca Atômica, Demônios da Tasmânia, Banda Stone Novo, a bateria da Escola de Samba Mocidade Independente de Aparecida e a cantora Márcia Novo.

Foliões buscam por clima familiar no bloco do Caldeira (Foto: Jimmy Geber/GDC)

À reportagem, o organizador falou sobre as dificuldades de organizar uma festa tão grande. “Uma folia desse porte dá um trabalho muito grande, mas temos fé em Deus que tudo ocorrerá de forma tranquila. O folião que vem para o Caldeira sabe brincar. O espírito dele é de Carnaval”, comentou.

Bloco reúne marchinhas tradicionais (Foto: Jimmy Geber/GDC)

Tendo 56 anos de história, o estabelecimento já encabeça festas de Carnaval há quatro décadas, de acordo com Carbajal. “Mas nós temos trabalhado com essa proporção toda somente há uns sete anos. A cada ano que passa, aumenta mais o número de pessoas”, afirmou.

A foliã Mônica Freire, 26, estudante de jornalismo, disse à reportagem que o melhor do Bloco do Caldeira é poder ouvir marchinhas antigas, em clima familiar. “O Caldeira é um bloco ao qual eu faço questão de vir todo ano. Ele e a Banda da Bica, para mim, são os melhores”, afirmou.

Bloco ocorre no Centro Histórico de Manaus (Foto: Jimmy Geber/GDC)

Para o folião Anderson Fonseca da Silva, 34, agente de proteção da Aviação Civil, o apelo do Bloco do Caldeira é o mesmo: levar marchinhas antigas ao público. “Isso resgata a cultura de antigamente, com marchinhas da época do meu pai e da minha mãe, que brincavam muito o carnaval”, finalizou.